Sistema tenta evitar praga na produção de pêssegos - Jornal Cidades
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

COMENTAR |
AGRONEGÓCIO Notícia da edição impressa de 22/09/2020. Alterada em 22/09 às 03h00min

Sistema tenta evitar praga na produção de pêssegos

Armadilhas foram criadas para monitorar insetos, que foram responsáveis por enormes prejuízos há 12 anos

Armadilhas foram criadas para monitorar insetos, que foram responsáveis por enormes prejuízos há 12 anos


/VANIA SGANZERLA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Todos os anos, independente de pandemia, os fruticultores necessitam de orientação técnica para aprimorar o manejo nos pomares. Há cerca de dez anos, a Embrapa e parceiros implementaram o Sistema de Alerta Mosca-das-Frutas para a cultura do pessegueiro, e neste ano, mesmo vivendo a situação da presença do coronavírus, o serviço terá continuidade com adaptações às exigências do momento. A partir desta semana, serão realizadas as reuniões semanais e veiculados os novos boletins informativos para a próxima safra, nas regiões de Pelotas e Serra Gaúcha.

Os boletins informativos divulgados, que apresentam um panorama de como está a presença da mosca e as recomendações técnicas para o momento da cultura, são frutos de encontros com os produtores. Ao longo do programa permanecem como parceiros as secretarias de Agricultura dos municípios, Emater/RS- Ascar, Associação de Produtores de Pêssego, Sindicato de Trabalhadores Rurais, universidades, Sindicato das Indústrias de Conservas da região de Pelotas, cooperativas e indústrias das regiões envolvidas.

Para o pesquisador Marcos Botton, da Embrapa Uva e Vinho, o programa tem sido uma importante ferramenta na tomada de decisão pelos produtores. "Com a integração entre as regiões, teremos mais agilidade para nivelar informações entre os principais polos produtores, adaptando recomendações para as realidades locais", avalia.

O monitoramento da mosca-das-frutas será realizado em pomares de produtores parceiros nos quais foram instaladas armadilhas, permanecendo até o final da colheita. Às segundas-feiras, na região de Pelotas um técnico do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Pelotas irá percorrer as unidades de observação em três municípios - Pelotas, Morro Redondo e Canguçu.

Já na Serra, os técnicos da Emater/RS-Ascar irão monitorar as áreas de produção de pêssego em oito municípios - Bento Gonçalves, Caxias do Sul, Cotiporã, Farroupilha, Nova Pádua, Pinto Bandeira, São Marcos e Veranópolis. A equipe do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) também irá apoiar a coleta de amostras.

O monitoramento das moscas-das-frutas é feito através da contagem de insetos capturados nas armadilhas McPhail (do tipo bola), para indicar se a população da mosca está alta ou baixa. O resultado do monitoramento das moscas é avaliado juntamente com os dados climáticos e com a fase do desenvolvimento do pêssego durante as reuniões. Essas informações irão compor o conteúdo dos boletins informativos.

A decisão de criar o sistema surgiu depois da safra 2008/2009, na qual caminhões lotados de pêssego foram perdidos na metade sul do Estado em função do ataque da mosca-das-frutas e de alterações nos produtos autorizados para a cultura. A crise foi uma oportunidade para que fosse criado esse mecanismo e implantado uma nova visão na produção, com o monitoramento da praga no campo e escolha do método de controle adequado para a situação

A região de Pelotas possui aptidão para produção de pêssego para indústria, como compotas, por exemplo, enquanto que a região da Serra atende a produção de pêssego de mesa, que é vendido in natura para o consumo. As duas são responsáveis por atender mais de 95% da oferta de pêssego no país, sendo que o sistema de alerta também será realizado no município de Pinto Bandeira, que foi reconhecido como a capital estadual do pêssego de mesa.

Comentários CORRIGIR TEXTO
Av. João Pessoa, 1282 - Farroupilha
Porto Alegre - RS - CEP 90040-001
Fone (51) 3213.1300