Pesquisa avalia comportamento das empresas do Vale do Paranhana - Jornal Cidades
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

COMENTAR |
EMPREENDEDORISMO Notícia da edição impressa de 21/07/2020. Alterada em 23/07 às 03h00min

Pesquisa avalia comportamento das empresas do Vale do Paranhana

Levantamento mostrou que a maioria dos empresários não buscou consultoria para melhorar os negócios

Levantamento mostrou que a maioria dos empresários não buscou consultoria para melhorar os negócios


/PREFEITURA DE TAQUARA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Uma cartilha elaborada nas Faculdades Integradas de Taquara (Faccat) pode ser de grande utilidade para empreendedores que precisam garantir a sobrevivência do seu negócio em tempos de dificuldades como os que o mundo vive atualmente. A ferramenta nasceu de um estudo realizado por duas docentes e um acadêmico da universidade, que foram contemplados por um edital de pesquisa lançado pela instituição de ensino do Vale do Paranhana ainda em 2018.

Eles desenvolveram uma pesquisa entre maio de 2019 e abril de 2020, com o objetivo de identificar os fatores que determinam a continuidade operacional de micro e pequenas empresas localizadas na região do Vale do Paranhana. Para tanto, realizaram entrevistas com 90 empreendedores dos municípios de Igrejinha, Parobé, Riozinho, Rolante, Taquara e Três Coroas.

Com base na análise das respostas obtidas dos entrevistados, os autores do estudo estabeleceram um panorama da região, identificando as maiores dificuldades internas e externas vivenciadas pelos empreendedores e os principais fatores que podem comprometer um negócio. Constataram, por exemplo, a carência de preparo e orientação prévia, pois, em média, 63% dos empreendedores não buscaram aperfeiçoamento antes de iniciarem o negócio ou, ainda, uma consultoria especializada (89%).

Entre as principais dificuldades internas detectadas nas empresas, constam a gestão de recursos financeiros, a formação da carteira de clientes, o atendimento a questões legais e a gestão de pessoas, que, juntas, representam 62% dos apontamentos levantados. Soma-se a isso a dificuldade de obtenção de crédito, outro ponto relevante indicado pelos entrevistados. No tocante ao ambiente externo, os empreendedores citaram dificuldades em relação à alta carga tributária, o grande número de exigências burocráticas a cumprir, a inadimplência dos clientes e a situação econômica em geral.

A partir dos resultados obtidos, Tatiane Pietrobelli Pereira, Kélim Bernardes Sprenger e Samuel Mariano Sperb, que foram os pesquisadores do estudo, compuseram uma cartilha com a síntese dos principais pontos observados e também uma série de sugestões para os empreendedores, as quais são úteis em cenários de dificuldades como o que o mercado está vivendo atualmente em função da pandemia. O material pode ser acessado por qualquer pessoa no site da universidade.

Comentários CORRIGIR TEXTO
Av. João Pessoa, 1282 - Farroupilha
Porto Alegre - RS - CEP 90040-001
Fone (51) 3213.1300