Casos de agressão contra mulheres tiveram aumento expressivo desde o início do ano em Imbé - Jornal Cidades
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

COMENTAR |
DIREITOS HUMANOS Notícia da edição impressa de 14/07/2020. Alterada em 14/07 às 03h00min

Casos de agressão contra mulheres tiveram aumento expressivo desde o início do ano em Imbé

O aumento significativo do número de casos de agressões contra mulheres tem preocupado quem trabalha diariamente no combate a esse tipo de crime em Imbé. Para frear a escalada de violência doméstica na cidade, a prefeitura de Imbé vem reforçando protocolos de ações diretamente ligadas ao combate deste tipo de situação. As principais alternativas têm sido a Sala Lilás e a presença cada vez mais constante da Guarda Municipal nas ruas.

 Conforme dados da pasta, criada há sete anos para acolher e promover a defesa de políticas públicas voltadas à proteção da mulher, 18 vítimas de violência doméstica e familiar procuraram, desde janeiro deste ano, o serviço oferecido pela Sala Lilás. "São mulheres de diferentes perfis, idades, situações econômicas, que chegam aqui encaminhadas pelas autoridades de segurança ou por elas mesmas, numa espécie de pedido de socorro", relata a secretária Joseleine Barbosa, que cuida pessoalmente do acolhimento.

Ela revela a existência de uma ampla rede de proteção formada por órgãos públicos e assistentes sociais, jurídicos e psicólogos. "Aqui nós orientamos a mulher vítima de violência física ou psicológica através do registro da ocorrência e das medidas jurídicas legais contra o agressor, além do acompanhamento psicológico para compreender e superar esta situação da qual ela é vítima", complementa.

 Na outra ponta do trabalho está a atuação ostensiva da Guarda Municipal, que somente neste ano já atendeu 15 ocorrências enquadradas na Lei Maria da Penha, que responsabiliza criminalmente a violência contra a mulher. Em pelo menos 11 delas houve a prisão do agressor.

As denúncias, em sua maioria, partem de denúncias de vizinhos que testemunham a violência. "A Guarda Municipal veio para somar também neste sentido. Os agentes estão capacitados para agir em caso de flagrante e também atender as denúncias da comunidade, sempre preservando a integridade da vítima", diz Marco Antonio Silva, titular da secretaria municipal de Segurança Pública e Trânsito.

Comentários CORRIGIR TEXTO
Av. João Pessoa, 1282 - Farroupilha
Porto Alegre - RS - CEP 90040-001
Fone (51) 3213.1300