Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

COMENTAR | CORRIGIR
CORONAVÍRUS Notícia da edição impressa de 25/06/2020. Alterada em 26/06 às 17h27min

Subnotificação de casos de Covid-19 em Lajeado é reduzida

Segunda fase do Testa Lajeado apontou que, para cada infectado, há 1,35 ainda não oficializado na cidade

Segunda fase do Testa Lajeado apontou que, para cada infectado, há 1,35 ainda não oficializado na cidade


/FRANCINE LEDUR/DIVULGAÇÃO/CIDADES
O grupo de pesquisa do Testa Lajeado divulgou os resultados preliminares da segunda etapa do estudo. Realizado pela Universidade do Vale do Taquari - Univates, por iniciativa da prefeitura de Lajeado, a pesquisa, por meio de amostragem probabilística, busca analisar a prevalência de coronavírus no município.
A segunda fase da pesquisa foi realizada de 13 a 17 de junho, em Lajeado, com uma amostra de 1.127 participantes. Da amostra, 23 pessoas tiveram resultado positivo no teste para identificar a contaminação por coronavírus. A primeira fase da pesquisa, realizada de 30 de maio a 4 de junho, teve uma amostra de 1.450 participantes, sendo 45 pessoas (3,93% de prevalência ajustada) com resultado positivo para a Covid-19
Quando analisadas as duas etapas juntas, a prevalência da doença no município de Lajeado é de 3,22%, ou seja, a estimativa é que 2.061 adultos tenham sido infectados na cidade, indicando baixa subnotificação de casos no município, que tem 1.585 confirmações. Segundo aponta o estudo, a proporção de casos notificados em relação aos estimados é de 74,1%, ou seja, para cada caso notificado, há 1,35 infectado não contabilizado pelos registros oficiais.
De acordo com os pesquisadores, Ioná Carreno Rafael Picon, a prevalência não é um indicativo de que as medidas de proteção podem ser deixadas de lado. "Ainda devemos ter cautela em relação à pandemia. Temos que ficar atentos a novos casos, mas, até o momento, o que parece acontecer é a estabilidade do número de casos em Lajeado. Alertamos que a população continue com os cuidados como o uso de máscara, lavagem das mãos e uso de álcool em gel", alertam os pesquisadores.
A grande discrepância entre a prevalência de infecção em trabalhadores de frigoríficos com a dos demais trabalhadores revela que a disseminação do vírus em Lajeado ficou, em parte, restrita às suas plantas frigoríficas. Se houvesse distribuição mais uniforme do vírus por todo o município, não se observaria tamanho contraste entre os trabalhadores de frigoríficos e não trabalhadores de frigoríficos, apontou o estudo.
A prevalência por faixa etária apontou que os mais infectados estão na faixa etária entre 40 e 59 anos, seguido bem de perto pelos adultos entre 20 a 39 anos. Os idosos com 60 anos ou mais vêm em terceiro lugar. No entanto, quando analisado o risco, ele varia de 0,1% para pessoas com 20 a 39 anos de idade a 7,6% para idosos com 60 anos ou mais. A proporção de adultos infectados que necessitaram de hospitalização foi de 3,6%.
A terceira etapa, prevista para iniciar no sábado, está em avaliação e não deve começar no dia 27, conforme cronograma inicial. Ainda será definido se há a necessidade de uma nova amostragem. O relatório final, com todos os dados da pesquisa, deverá ser entregue ao poder público em julho.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia
Av. João Pessoa, 1282 - Farroupilha
Porto Alegre - RS - CEP 90040-001
Fone (51) 3213.1300