Associações veem risco de bandeira vermelha para o Vale do Rio Pardo - Jornal Cidades
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

COMENTAR |
MUNICÍPIOS Notícia da edição impressa de 24/06/2020. Alterada em 24/06 às 18h52min

Associações veem risco de bandeira vermelha para o Vale do Rio Pardo

Líderes da Amvarp, Cisvale e da Coordenadoria Regional da Saúde alertam para o agravamento da situação

Líderes da Amvarp, Cisvale e da Coordenadoria Regional da Saúde alertam para o agravamento da situação


/AMVARP/DIVULGAÇÃO/CIDADES
A Associação dos Municípios do Vale do Rio Pardo (Amvarp) e o Consórcio Intermunicipal de Serviços do Vale do Rio Pardo (Cisvale) realizaram uma coletiva de imprensa para analisar a mudança da bandeira amarela para laranja na região. Participaram o presidente da Amvarp e prefeito de Candelária, Paulo Butzge, o presidente do Cisvale e prefeito de Pantano Grande, Cassio Nunes Soares, e a coordenadora da 13ª Coordenadoria Regional de Saúde (13ª CRS), Mariluci Reis.
A região passou a ser classificada como bandeira laranja, o que significa um risco alto de contaminação pelo coronavírus e o agravamento na ocupação hospitalar nos leitos comuns e de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em virtude da Covid-19. Os gestores demonstraram preocupação com a situação, e a necessidade da região estar atenta para evitar o agravamento, e uma possível mudança para bandeira vermelha.
O presidente da Amvarp lembrou que o momento atual é de conscientização para que a situação não se agrave ainda mais. "Estamos essencialmente preocupados com a iminência ou a possibilidade de que, havendo algum tipo de agravamento, venhamos a passar para uma bandeira ainda pior. Se por um lado nós temos a questão da terrível pandemia, por outro lado temos a consequência, que é o agravamento econômico. Imaginem as consequências terríveis para o comércio, para a população, para cada um de nós. O comprometimento das pessoas é que fará a total diferença", observou.
Para o presidente do Cisvale, Cassio Nunes Soares, todos os cidadãos, inclusive os de fora dos chamados "grupos de risco", que inclui idosos e pessoas que possuem outras comorbidades, precisam se comprometer com a situação. Ele lembrou que ainda existem aglomerações nas cidades, e que os prefeitos da região têm de lidar com pedidos de flexibilização que, no momento, não são possíveis, como os eventos sociais ou esportivos.
O prefeito de Pantano Grande destacou também que, caso a situação se agrave ainda mais, e o Vale do Rio Pardo alcance uma bandeira vermelha ou preta, a população irá sentir os efeitos da pandemia de forma ainda mais grave, com restrições ainda maiores para o comércio e indústria.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO
Av. João Pessoa, 1282 - Farroupilha
Porto Alegre - RS - CEP 90040-001
Fone (51) 3213.1300