Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

COMENTAR | CORRIGIR
REGIÃO SUL Notícia da edição impressa de 08/01/2020. Alterada em 09/01 às 03h00min

Municípios têm potencial para negócios voltados aos idosos

Pelotas e Rio Grande integram ranking que leva em conta questões como a longevidade da população

Pelotas e Rio Grande integram ranking que leva em conta questões como a longevidade da população


/FREEPIK.COM/DIVULGAÇÃO/CIDADES

As cidades de Pelotas e Rio Grande foram listadas em um ranking das 10 melhores cidades do Brasil para se investir em negócios cujo público-alvo é a terceira idade, conforme estudo realizado pela Goakira Consultoria. Também chamado de Economia da Longevidade, o conjunto de negócios voltados à terceira idade tem tudo para ser um dos mais promissores nas próximas décadas.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população idosa brasileira é composta por 29,3 milhões de pessoas, que representam 14,3% da população do País. Em 2030, a projeção é de que o Brasil tenha mais idosos do que crianças, com 41,5 milhões de pessoas (18%) com idade superior ou igual a 60 anos e 39,2 milhões (17,6%) entre zero e 14 anos. Em 2060, estima-se que um em cada quatro brasileiros terá 65 anos ou mais.

No ranking, Rio Grande aparece em oitavo lugar e Pelotas em nono. O estudo leva em conta questões como renda per capita, Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) com foco na questão da longevidade e densidade demográfica. A cidade portuária conta com 20,6% da população, de cerca de 210 mil habitantes, na faixa da terceira idade, enquanto os pelotenses conta com 22,2% dos cerca de 340 mil pessoas com idade igual ou superior a 60 anos. Porto Alegre e Santa Maria também se mostram como potenciais municípios para estas atividades.

Conforme o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), os brasileiros com mais de 60 anos representam, atualmente, 20% do poder de consumo do País. Outro levantamento indicou que os idosos foram o único público que aumentou seu consumo em unidades ( 2,1%), volume comprado ( 0,6%) e valor desembolsado ( 5,3%) nos últimos 12 meses terminados em julho deste ano. Além disso, em comparação com a média geral da população, os maduros gastam mais na compra de todas as categorias de produtos, especialmente em higiene e beleza ( 6,3%), bebidas ( 7,3%) e commodities ( 4,6%).

Para indicar as melhores cidades para investir em negócios cujo público-alvo são pessoas da terceira idade, foram usados como indicadores os municípios com mais de 200 mil habitantes e o IDH - Perspectiva de Longevidade. Quanto mais próximo do número 1, maior o IDH. Rio Grande apareceu com 0,86, enquanto Pelotas teve 0,84.

A etapa seguinte do levantamento considerou o percentual de população na terceira idade - com a finalidade de demonstrar as maiores concentrações, os municípios com IDH de longevidade superior a 0,75 foram ranqueados conforme o percentual de população na terceira idade. Os 10 municípios que apresentaram maior percentual foram classificados para o ranqueamento final.

Na terceira e última etapa do estudo coordenado, o foco foi na análise do poder aquisitivo frente à renda média domiciliar - os 10 primeiros municípios com maior IDH de longevidade e maior concentração de população idosa foram ranqueados conforme a renda média domiciliar. Desta forma, foi possível demonstrar os locais com maior concentração de idosos e também com melhor poder aquisitivo - condições ideais para a instalação de negócios voltados a este público-alvo.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia

Av. João Pessoa, 1282 - Farroupilha
Porto Alegre - RS - CEP 90040-001
Fone (51) 3213.1300