Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

COMENTAR | CORRIGIR
LAJEADO Notícia da edição impressa de 02/12/2019. Alterada em 02/12 às 03h00min

Iniciativa quer identificar problemas em prédios de escolas

Estudantes da Univates visitaram edificações em busca de patologias nas estruturas das edificações

Estudantes da Univates visitaram edificações em busca de patologias nas estruturas das edificações


/UNIVATES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O Grupo de Estudos e Pesquisas em Patologia das Construções (Geppat), formado por professores e estudantes do curso de Engenharia Civil da Universidade do Vale do Taquari (Univates), faz o levantamento de manifestações patológicas nos prédios de escolas públicas do Vale do Taquari, com possibilidade de auxiliar com projetos de reparos nas instituições visando ao bem-estar dos alunos. Formado por estudantes voluntários, o grupo está em contato com as escolas, onde farão levantamento das necessidades da estrutura, além de realizar palestras preventivas aos alunos e professores caso ocorram situações de emergência. Desde setembro, o grupo está realizando atividades em uma escola de Lajeado

Durante as visitas, os acadêmicos analisam como foi a construção da edificação, fazem registro fotográfico das manifestações patológicas - fissuras, bolor, deformações, carbonatação -, realizam alguns ensaios e, com todas as informações levantadas, farão um levantamento acadêmico das causas das manifestações e propõem soluções de reparos. A estudante do oitavo semestre do curso de Engenharia Civil Jéssica Caroline Möeller conta que o grupo vem fazendo ensaios no colégio, a fim de conhecer a estrutura e as necessidades do local. "Já fizemos algumas visitas técnicas, verificando patologias existentes na edificação e ajudando a escola com apoio técnico no que pode ser feito para corrigir esses problemas", explica.

A professora Débora Righi, que auxilia o grupo, explica que o projeto promove a integração entre os estudantes do curso e desenvolve o espírito de colaboração dentro da equipe. "Além disso, buscamos despertar maior interesse dos estudantes na área de patologia das construções, consolidar e aprofundar conhecimentos na área e incentivar a participação em atividades de cunho social", comenta.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia
Av. João Pessoa, 1282 - Farroupilha
Porto Alegre - RS - CEP 90040-001
Fone (51) 3213.1300