Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

COMENTAR | CORRIGIR
CAXIAS DO SUL Notícia da edição impressa de 18/10/2019. Alterada em 22/10 às 03h00min

Servidores da saúde serão penalizados por 'operação tartaruga'

Prefeito Daniel Guerra determinou a demissão de quatro médicos

Prefeito Daniel Guerra determinou a demissão de quatro médicos


/PETTER CAMPAGNA KUNRATH /DIVULGAÇÃO/JC

Quatro servidores da prefeitura de Caxias do Sul serão demitidos e outros cinco receberão suspensão no trabalho após uma intensa investigação de sindicância da Corregedoria-Geral do Município, determinada pelo prefeito Daniel Guerra. A apuração investigou uma prática conhecida como "operação tartaruga" (quando há demora proposital no atendimento), realizada por esses nove profissionais, que trabalhavam no Postão 24 Horas em 2017.

A equipe da corregedoria trabalhou exaustivamente nesse processo, que foi finalizado no início de outubro. Durante a sindicância, foram investigados todos os pontos relacionados ao tema, ouvidas testemunhas e também os denunciados, que tiveram direito à ampla defesa. O processo traz relatórios individuais dos nove servidores médicos investigados, com trechos de depoimentos e também com a sugestão de penalidade a cada um deles. De acordo com o relatório do processo, diversas situações comprovaram a conduta inadequada dos profissionais.

Em vários trechos, eles deixaram de prestar atendimento de propósito ou atenderam os pacientes de forma mais lenta propositalmente. Uma das situações descritas no documento mostra que um dos médicos atendeu 13 pacientes em uma jornada de trabalho de 12h50min, ou seja, levou quase uma hora para atender cada usuário. Outro caso aponta que um dos profissionais atendeu 16 pacientes em uma jornada de 15h51min e, em outra situação, um dos médicos atendeu cinco pacientes em uma jornada de 6h06min, levando mais de uma hora em cada consulta.

Além disso, os denunciados também teriam incentivado os colegas a procederem em forma de "operação tartaruga" em apoio à greve dos servidores médicos lotados nas UBSs na época. Como resultado da sindicância, as penalidades sugeridas pela Corregedoria e aprovadas pelo prefeito Daniel Guerra são: suspensão por 60 dias de três médicos, suspensão por 30 dias de um médico, suspensão por 40 dias de um médico e quatro demissões de médicos do município. "A nossa população merece ser atendida com respeito e ter a garantia do pleno funcionamento dos serviços de saúde da rede pública. Isso passa pelo comprometimento do servidor e pelo cumprimento da responsabilidade dos profissionais da área da saúde", ressaltou o prefeito.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia
Av. João Pessoa, 1282 - Farroupilha
Porto Alegre - RS - CEP 90040-001
Fone (51) 3213.1300