Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

COMENTAR | CORRIGIR
SÃO BORJA Notícia da edição impressa de 19/08/2019. Alterada em 21/08 às 03h00min

Por conta do frio, rondas assistenciais à noite serão prorrogadas até outubro

A previsão dos institutos de meteorologia de que, neste ano, a região terá ondas de frio até outubro deverá mudar as rotinas de assistência dos serviços da Ronda Social em São Borja. A previsão inicial é de prestar atendimento até o início de setembro, mas, devido às adversidades do clima, poderá haver prorrogação por mais algumas semanas. É o que projeta o secretário municipal de Desenvolvimento Social, Pedro Quoos, responsável pela coordenação das ações no setor.

O serviço de Ronda Social é normalmente prestado durante o inverno, das 19h às 21h. Um veículo da prefeitura, com a identificação do programa, percorre locais estratégicos na cidade, a fim de acolher moradores de rua. São percorridos locais como as praças XV de Novembro, da Lagoa e Assis Brasil, área central da cidade e o entorno da São Francisco de Borja, além da rodoviária. As pessoas em situação de rua são convidadas a pernoitarem no Albergue Municipal. Além de permanência durante a noite, é oferecida a chance de banho, jantar e café da manhã. São 14 vagas à disposição, masculinas e femininas.

O Albergue Municipal não atende apenas moradores de rua. Pessoas de outras cidades com dificuldade de hospedagem também podem ocupar a casa de passagem. O secretário Pedro Quoos ressalta que, para esse tipo de assistência, o atendimento não sofre interrupção ao longo de todo o ano.

A secretaria também continua com as campanhas de agasalhos e de alimentos. O titular da pasta ressalta que, com o inverno prolongado, a necessidade é sempre maior. Em relação a agasalhos, a principal carência é de cobertores e de roupas infantis. Recentemente, eventos na cidade conseguiram boa arrecadação de alimentos não perecíveis. Pedro Quoos diz que, mesmo assim, são esperadas mais doações, que podem ser anunciadas ou levadas diretamente à secretaria. Com os insumos são formadas cestas básicas que são distribuídas às famílias mais necessitadas.

Quoos observa que, ao mesmo tempo, a prefeitura espera por doações de materiais de construção de modo geral, utilizados para a recuperação de moradias. No mesmo sentido, também podem ser feitas doações de móveis, eletrodomésticos, novos ou usados, para repasse a famílias carentes que fizerem pedido junto ao poder público.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia
Av. João Pessoa, 1282 - Farroupilha
Porto Alegre - RS - CEP 90040-001
Fone (51) 3213.1300