COMENTAR | CORRIGIR
Alterada em 29/04 às 03h00min

PELOTAS: Fenadoce quer valorizar patrimônio material e imaterial da cidade

Tradicional feira da cidade que manter tradição doceira do município e exibir prédios tombados pelo Iphan

Tradicional feira da cidade que manter tradição doceira do município e exibir prédios tombados pelo Iphan


/RAFAEL TAKAKI/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Praças, parque, charqueada e chácara: o visitante que passar pela Fenadoce 2019 se sentirá em uma extensão do Conjunto Histórico de Pelotas. A ideia da organização da feira é realmente essa, inspirada no registro realizado em 2018 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), que consagrou Pelotas como Patrimônio Cultural Brasileiro, material e imaterial. O fato justifica a escolha do tema para essa edição: Patrimônio Nosso. A ideia é contribuir com a divulgação, valorização e conservação do patrimônio cultural de Pelotas e região, que celebra a tradição doceira como a sua grande marca. Os preparativos para esse ano entram em fase final, já que a feira inicia em menos de dois meses. Neste ano a Fenadoce acontecerá de 05 a 23 de junho, em Pelotas.

 A proposta para o tema de 2019 é sobretudo uma preocupação da Fenadoce em valorizar o patrimônio pelotense e toda a sua carga histórica e cultural, que atrai pesquisas e turistas de todo país. O projeto cultural da feira foi desenvolvido pela Ânima Cultural e divide-se em duas áreas: artes visuais e artes cênicas e música. As artes cênicas estão sob responsabilidade do artista Leandro Selister. A ideia é apresentar uma Fenadoce cheia de transformações, com cenários que mesclam desenhos, ilustrações, e fotografias do Conjunto Histórico de Pelotas. Ao todo, sete setores tombados serão representados na Fenadoce 2019: quatro praças, um parque, a Chácara da Baronesa e a Charqueada São João.

 O projeto de artes cênicas terá como principal palco o Espaço Arte do Doce, onde estão sendo programadas apresentações que contarão com músicos, bailarinos e atores em encenações e performances que representarão uma releitura da cultura e tradição de Pelotas. Os fios condutores dessa história serão o sal e o açúcar, os ingredientes que deram início a toda tradição que hoje leva o nome de Pelotas para todo o país e também o exterior.

 Segundo a produtora cultural da Confederação dos Dirigentes Logistas Pelotas, Adriane Silveira, o projeto visual dessa edição contará com a criação de representações que formarão cenários com prédios tombados, enquanto que o projeto de artes cênicas e música trará a criação de personagens inspirados nas memórias e histórias contadas sobre Pelotas e o sua tradição doceira.

 Para 2019 a Fenadoce contará com uma área tecnológica em seu projeto cultural. O app Turismo Virtual em Pelotas incluirá a Fenadoce e agregará experiências por meio da tecnologia da realidade aumentada na Feira.

 O aplicativo permitirá acesso aos elementos visuais da ambientação da feira. Assim, as fotografias em alta resolução do Conjunto Histórico de Pelotas estarão disponíveis de forma interativa. Será possível visualizar ainda vídeos para que os visitantes da feira possam visitar virtualmente os espaços representados. Já no Espaço Arte do Doce a tecnologia permitirá uma interação com os desenhos criados por Leandro Selister.

 A edição de 2019 da Feira Nacional do Doce é representada pela corte composta pela rainha Kaiana Spiering e as princesas Carolina Ávila Gotthilf e Kathlen Iandra Silva Prestes. Em 2018, conforme dados levantados, foram mais de 239 mil visitantes e 1,4 milhões de doces vendidos.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia
Av. João Pessoa, 1282 - Farroupilha
Porto Alegre - RS - CEP 90040-001
Fone (51) 3213.1300