COMENTAR | CORRIGIR
Notícia da edição impressa de 16/07/2018. Alterada em 20/07 às 01h00min

MAQUINÉ: Projeto Taramandahy realiza oficinas de Culinária e Agroecologia

ANAIARA VENTURA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Reflexões como o cultivo ecológico incide na preservação do solo que vai levar água mais limpa para os rios e a importância do produto agroecológico, que é fundamental, uma vez que a abstinência dos agrotóxicos preserva a qualidade das águas, fizeram parte das avaliações dos 22 participantes da oficina de Culinária e agroecologia, ocorrida em junho na Barra do Ouro. Participaram agricultoras, agente de saúde, representante da paróquia, extensionista da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), professoras, merendeiras, empreendedoras locais e um gestor ambiental.

A atividade é promovida pelo Projeto Taramandahy - Fase III, realizado pela Ação Nascente Maquiné (Anama), com patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental e governo federal e consiste na elaboração e degustação de receitas, utilizando alimentos da sociobiodiversidade e promovendo trocas de experiências sobre alimentação; valores nutricionais, medicinais e funcionais; cultura alimentar, consumo consciente, saúde e autocuidado.

A oficina aconteceu na cozinha do salão da Igreja Nossa Senhora da Piedade e contou com apoio da Unidade de Saúde Familiar da Barra do Ouro e do escritório municipal da Emater. Foram apresentados alimentos tradicionais e ecológicos, enquanto as facilitadoras Valéria Bastos e Janaína Soares dialogaram com os presentes sobre temas como a produção de alimentos agroecológicos e convencionais, uso e qualidade da água e do solo, segurança alimentar, uso e valores nutricionais dos alimentos, plantas alimentícias não convencionais, medicinais e condimentares, entre outros.

Foram preparadas receitas visando estimular o uso de alimentos orgânicos e o resgate do hábito de cozinhar. As receitas de cuscuz de forno, torta de raízes, bolo de açaí e biomassa de banana verde, bananese (à base de biomassa de banana verde) e sucos de frutas nativas estão disponíveis em apostilas distribuídas aos participantes. Para o biólogo e gestor ambiental Fabiano Costa Pereira "as receitas são versáteis, fáceis de fazer, permitindo substituições de ingredientes, além de abrir o repertório culinário".

A professora Marema Munari não conhecia a cúrcuma. Ela tem hipertensão e ficou feliz em saber que a raiz pode ajudar a equilibrar sua pressão arterial, além de ter seu uso como condimento. Elsa Bonho, merendeira aposentada e empreendedora da área de turismo rural observou que não há necessidade de colocar veneno nas bananas, como se faz na produção convencional da fruta. Em sua família, sempre se cultivou a banana de forma ecológica. A data da próxima oficina já está marcada para 25 de julho e será realizada na cozinha do Centro de Referências Ambientais Taramandahy, com apoio da secretaria de Educação de Maquiné. Esta oficina vai ser direcionada às merendeiras do município e agricultoras. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (0xx51) 3628-1415.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia

Av. João Pessoa, 1282 - Farroupilha
Porto Alegre - RS - CEP 90040-001
Fone (51) 3213.1300