Porto Alegre, domingo, 09 de janeiro de 2022.
Porto Alegre,
domingo, 09 de janeiro de 2022.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Arqueologia

- Publicada em 09/01/2022 às 10h18min.

Tumbas de clãs de 3 mil anos são descobertas em sítio arqueológico na China

Entre os fossos enterrados na vila de Shaojiapeng, estavam guerreiros, cavalos e seis carruagens

Entre os fossos enterrados na vila de Shaojiapeng, estavam guerreiros, cavalos e seis carruagens


Divulgação/Anyang Institute of Cultural Relics and Archaeology
A vila de Shaojiapeng, cidade de Anyang, na China, foi alvo de uma descoberta. Um aglomerado de tumbas em grande escala que remonta ao final da Dinastia Shang (1600-1046 a.C.) foi encontrado no local que é considerado a principal área de convivência de um clã chamado "Ce".
A vila de Shaojiapeng, cidade de Anyang, na China, foi alvo de uma descoberta. Um aglomerado de tumbas em grande escala que remonta ao final da Dinastia Shang (1600-1046 a.C.) foi encontrado no local que é considerado a principal área de convivência de um clã chamado "Ce".
O caractere chinês "Ce" foi encontrado na inscrição do bronze descoberto nas relíquias do cemitério, que indica a identidade do clã. O sítio arqueológico conta com um total de 18 fundações de edifícios e 24 tumbas. Durante quase dois anos de escavação, foram encontrados no local quatro fossos para cavalos e carruagens, junto com relíquias de bronze requintado e jade. Objetos de pedra, utensílios de osso e mexilhões também foram localizados.
Os trabalhos no local revelaram que, entre os fossos, estavam enterrados vários guerreiros e cavalos, assim como seis carruagens, com decorações luxuosas nas relíquias. Alguns cadáveres estavam usando chapéus com cordões de concha, enquanto as testas de alguns cavalos foram decoradas com folheado de ouro e apoio de bronze.
"Isso é muito raro entre as antigas descobertas da região, refletindo o extraordinário status e poder do proprietário da carruagem", disse o diretor do Instituto de Relíquias Culturais e Arqueologia de Anyang, Kong Deming, responsável pelas escavações.
Os pesquisadores ainda estão trabalhando para desvendar os mistérios restantes do sítio arqueológico, incluindo a relevância social do clã, sua divisão de trabalho e sua relação com a família real Shang. As relíquias do local são diversas e bem preservadas, o que as torna de grande importância para estudos sobre a extensão e o layout das Ruínas Yin, de acordo com Deming.
/Folhapress
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO