Porto Alegre, domingo, 09 de maio de 2021.
Dia das Mães.
Porto Alegre,
domingo, 09 de maio de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Ciência

- Publicada em 13h16min, 09/05/2021. Atualizada em 16h44min, 09/05/2021.

Destroços do foguete chinês caem no Oceano Índico

Foguete Longa Marcha CZ-5B foi lançado em 29 de abril

Foguete Longa Marcha CZ-5B foi lançado em 29 de abril


STR/AFP PHOTO/JC
Uma parte dos destroços do foguete chinês Longa Marcha CZ-5B caiu neste domingo (9) no Oceano Índico, a oeste das Ilhas Maldivas. A queda da peça, de 30 metros de altura e 20 toneladas, foi confirmada pela Agência Espacial chinesa.
Uma parte dos destroços do foguete chinês Longa Marcha CZ-5B caiu neste domingo (9) no Oceano Índico, a oeste das Ilhas Maldivas. A queda da peça, de 30 metros de altura e 20 toneladas, foi confirmada pela Agência Espacial chinesa.
"De acordo com monitoramento e análise, às 10h24 (0224 GMT) de 9 de maio de 2021, o primeiro estágio do foguete 5B Longa Marcha voltou à atmosfera", disse a agência espacial em comunicado.
De acordo com a agência, a maior parte do segmento se desintegrou ao entrar na atmosfera. Havia a expectativa de que o segmento do foguete pudesse cair em alguma parte habitada, causando prejuízos. As autoridades chinesas haviam afirmado que a queda do segmento do foguete representava pouco perigo.
A queda também foi confirmada pelo Comando Espacial dos Estados Unidos, que disse que o segmento entrou na atmosfera pela Península Arábica aproximadamente às 22h15.
O foguete Longa Marcha CZ-5B tem, no total, 57 metros. Ele foi lançado em 29 de abril, com a missão de levar ao espaço o primeiro módulo da nova estação espacial da China. O seu compartimento de carga, na “ponta” do foguete, tem bem menos, cerca de 27 metros e 25 toneladas. O restante do foguete, se desprende do compartimento de carga assim que sua função no lançamento é cumprida. Após o desacoplamento, esses estágios podem voltar à órbita da Terra.
Agência Brasil
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário