Porto Alegre, domingo, 02 de maio de 2021.
Porto Alegre,
domingo, 02 de maio de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

América do Sul

- Publicada em 18h44min, 02/05/2021.

Presidente da Colômbia anuncia uso do Exército para conter protestos

Militares foram acionados para conter protestos contra reforma tributária

Militares foram acionados para conter protestos contra reforma tributária


Daniel MUNOZ/AFP/JC
O presidente da Colômbia, Ivan Duque, anunciou na noite de sábado que o Exército colombiano irá auxiliar os esforços das forças de segurança pública para conter os protestos contra a reforma tributária, atualmente em discussão pelo Congresso do país. Segundo informou, a assistência militar atuará em vigor nos centros urbanos com "alto risco" para a segurança dos cidadãos.
O presidente da Colômbia, Ivan Duque, anunciou na noite de sábado que o Exército colombiano irá auxiliar os esforços das forças de segurança pública para conter os protestos contra a reforma tributária, atualmente em discussão pelo Congresso do país. Segundo informou, a assistência militar atuará em vigor nos centros urbanos com "alto risco" para a segurança dos cidadãos.
"Quero fazer uma advertência clara a quem é a favor da violência. O vandalismo e o terrorismo pretendem amedrontar a sociedade e creem que, por este mecanismo, dobrarão as instituições. Não vamos permitir que as vias de fato, a destruição de bens públicos e privados ou as mensagens de ódio tenham espaço em nosso país", disse Duque. "Não deixaremos de tomar todas as medidas para garantir o abastecimento, a mobilidade, o direito ao trabalho e a segurança em todo o território nacional." 
Desde quarta-feira passada, o país enfrenta uma greve nacional e manifestações contra a proposta governista de alterar tributos. Na sexta-feira, Duque disse ter instruído o Ministério da Fazenda a construir novo texto da proposta em que não se altere os impostos sobre bens, alimentos, serviços públicos e gasolina.
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário