Porto Alegre, domingo, 28 de março de 2021.
Dia do Diagramador. Dia do Revisor.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 28 de março de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Egito

- Publicada em 15h47min, 26/03/2021. Atualizada em 17h29min, 28/03/2021.

Canal de Suez segue bloqueado por navio

Autoridades locais enfrentam dificuldades para desencalhar a embarcação de 400 metros de comprimento

Autoridades locais enfrentam dificuldades para desencalhar a embarcação de 400 metros de comprimento


Suez CANAL/AFP/JC
Em um impasse que se arrasta desde a manhã de terça-feira (23), o Canal de Suez, uma das principais rotas marítimas do mundo, segue bloqueado pelo porta-contêineres Ever Given e pode levar vários dias para ser liberado. Autoridades locais enfrentam dificuldades para desencalhar a embarcação de 400 metros de comprimento e assistem à formação de uma extensa fila de navios que desejam utilizar a passagem que liga Ásia e Europa. De olho nas dificuldades de logística, os contratos futuros de petróleo voltam a subir nesta sexta-feira (26).
Em um impasse que se arrasta desde a manhã de terça-feira (23), o Canal de Suez, uma das principais rotas marítimas do mundo, segue bloqueado pelo porta-contêineres Ever Given e pode levar vários dias para ser liberado. Autoridades locais enfrentam dificuldades para desencalhar a embarcação de 400 metros de comprimento e assistem à formação de uma extensa fila de navios que desejam utilizar a passagem que liga Ásia e Europa. De olho nas dificuldades de logística, os contratos futuros de petróleo voltam a subir nesta sexta-feira (26).
Às 8h20min de Brasília, o barril de petróleo WTI para maio subia 2,10% a US$ 59,79, enquanto o de Brent para junho avançava 1,97%, a US$ 63,02. A commodity já havia se fortalecido na terça-feira com a notícia sobre o bloqueio em Suez, mas na quinta-feira teve forte correção negativa por preocupações sobre o avanço da pandemia.
"Podemos ficar aqui por dias. Nada está se movendo, e a conversa no rádio é que ficaremos aqui até o fim de semana.", disse ao Wall Street Journal Manolis Kritikos, mecânico de um navio-tanque operado pela Grécia preso na hidrovia.
De acordo com o site Marine Traffic, que acompanha o trânsito marítimo mundial, mais de 100 navios estão parados nas proximidades de Suez e aguardam o desbloqueio do canal para seguir viagem. Para além de atrasos nas entregas, circula no mercado o temor de encarecimento de fretes, caso o impasse com o Ever Given não seja resolvido rapidamente.
As transportadoras Maersk e Hapag-Lloyd AG já consideram desviar seus navios pela África, evitando o engarrafamento na hidrovia. "Estamos considerando todas as opções de entrega de carga para nossos clientes, incluindo transporte aéreo, ferroviário e envio de navios pela África do Sul, mas nenhuma decisão foi tomada", disse um porta-voz da Maersk ao Wall Street Journal. A dinamarquesa Torm AS informa que seus clientes já perguntam quanto custaria para tornar o desvio possível.
Também nesta sexta-feira, a secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, afirmou que o governo norte-americano monitora de perto a situação no Canal do Suez. Segundo ela, os Estados Unidos ofereceram assistência ao Egito e estão avaliando a melhor maneira de ajudar.
Em entrevista coletiva, a porta-voz comentou que uma das preocupações é com o impacto do bloqueio nos mercados de energia, uma vez que o canal representa uma das principais rotas comerciais do setor.
Comentários CORRIGIR TEXTO