Porto Alegre, domingo, 28 de março de 2021.
Dia do Diagramador. Dia do Revisor.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 28 de março de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

argentina

- Publicada em 12h33min, 26/03/2021. Atualizada em 16h16min, 28/03/2021.

Argentina rejeita redução da tarifa externa comum do Mercosul

Presidente Alberto Fernández diz que revisão deve ocorrer de forma 'racional e pragmática'

Presidente Alberto Fernández diz que revisão deve ocorrer de forma 'racional e pragmática'


JUAN MABROMATA/afp/jc
O presidente argentino Alberto Fernández abriu o encontro do Mercosul na manhã desta sexta-feira (26) reforçando a "dificuldade de governar" dos países do bloco por conta da pandemia e seus efeitos na economia.
O presidente argentino Alberto Fernández abriu o encontro do Mercosul na manhã desta sexta-feira (26) reforçando a "dificuldade de governar" dos países do bloco por conta da pandemia e seus efeitos na economia.
Com relação à flexibilização da Tarifa Externa Comum (TEC), uma demanda do Brasil, o mandatário disse: "não acreditamos que a redução da tarifa externa comum seja o instrumento para resolver os nossos problemas".
O presidente argentino afirma que a proposta do país é que a redução aconteça "por meio de uma revisão racional e pragmática, com maior objetividade e com a preocupação para a geração de empregos". "O sentido de nossa integração é construir uma agenda comum."
De modo digital, Fernández falou desde o salão do museu do Bicentenário, anexo à Casa Rosada. A seu lado estavam o chefe de gabinete, Santiago Cafiero, e o chanceler Felipe Solá. Diante dele, em telas diferentes, os demais mandatários.
Fernández também fez um balanço positivo do aniversário de 30 anos do bloco, nesta sexta, período "em que caminhamos desde a rivalidade até a cooperação".
O encontro comemorativo dos 30 anos do Mercosul conta com a presença dos presidentes Alberto Fernández (Argentina), Jair Bolsonaro (Brasil), Luis Lacalle Pou (Uruguai), Mario Abdo Benítez (Paraguai), Luis Arce (Bolívia) e Sebastián Piñera (Chile).
Folhapress
Comentários CORRIGIR TEXTO