Porto Alegre, quinta-feira, 18 de março de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 18 de março de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Paraguai

- Publicada em 17h02min, 18/03/2021.

Câmara do Paraguai livra presidente de processo de impeachment

Benítez tem sido alvo, desde a semana passada, de protestos de rua que pedem sua destituição

Benítez tem sido alvo, desde a semana passada, de protestos de rua que pedem sua destituição


NORBERTO DUARTE/AFP/JC
O presidente paraguaio Mario Abdo Benítez conseguiu se livrar, na noite de quarta-feira (17), de um processo de impeachment que a oposição tentava abrir na Câmara dos Deputados com base na alegada negligência do governo no combate à pandemia do novo coronavírus. O chefe do Executivo do país tem sido alvo, desde a semana passada, de protestos de rua que pedem sua destituição.
O presidente paraguaio Mario Abdo Benítez conseguiu se livrar, na noite de quarta-feira (17), de um processo de impeachment que a oposição tentava abrir na Câmara dos Deputados com base na alegada negligência do governo no combate à pandemia do novo coronavírus. O chefe do Executivo do país tem sido alvo, desde a semana passada, de protestos de rua que pedem sua destituição.
Com 42 votos do Partido Colorado, de Benítez, contra 36 da oposição, a Câmara rejeitou a abertura da ação proposta horas antes pelo Partido Liberal, o maior dentre os não alinhados ao governo. Durante a votação, centenas de manifestantes se reuniram na frente da sede do Poder Legislativo paraguaio, em Assunção. Policiais foram agredidos com pedras e reagiram com balas de borracha e jatos d'água. Houve vandalismo no entorno do prédio.
A sede do Partido Colorado também foi atacada por manifestantes. Um princípio de incêndio foi controlado pelos bombeiros. Várias pessoas foram detidas após os atos de violência.
Com 7,6 milhões de habitantes, o Paraguai soma 183 mil casos de infecção pelo novo coronavírus e 3,5 mil mortos. Faltam insumos básicos e medicamentos para o tratamento dos doentes nos hospitais. Até o momento, apenas 24 mil doses de vacinas chegaram ao país.
Comentários CORRIGIR TEXTO