Porto Alegre, terça-feira, 02 de março de 2021.
Dia Nacional do Turismo.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 02 de março de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

coronavírus

- Publicada em 10h34min, 02/03/2021. Atualizada em 16h37min, 02/03/2021.

Covax distribuirá 237 milhões de vacinas a 142 países até maio, diz OMS

Gana e Costa do Marfim foram as primeiras nações a administrarem imunizantes da iniciativa

Gana e Costa do Marfim foram as primeiras nações a administrarem imunizantes da iniciativa


DIBYANGSHU SARKAR / AFP/ JC
O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, informou nesta terça-feira (2) que o programa Covax planeja distribuir 11 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 esta semana e 237 milhões até o final de maio, a um total de 142 países, incluindo o Brasil.
O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, informou nesta terça-feira (2) que o programa Covax planeja distribuir 11 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 esta semana e 237 milhões até o final de maio, a um total de 142 países, incluindo o Brasil.
Na segunda-feira, Gana e Costa do Marfim, ambos na África, se tornaram as primeiras nações do mundo a administrarem imunizantes entregues pela iniciativa, enquanto a Colômbia foi a primeira do continente americano a receber um lote do produto.
"A vacinação em massa é importante para salvar vidas", destacou em coletiva de imprensa o presidente de Gana, Nana Akufo-Addo, que foi imunizado.
Durante a coletiva, Tedros Adhanom reconheceu que a distribuição de vacinas não tem ocorrido de maneira integralmente equitativa, mas ponderou que, sem a Covax, o quadro seria pior. Para ele, as forças dos mercados sozinhas não são capazes de assegurar o acesso universal ao profilático.
"Covax vai mudar não só o curso da pandemia, mas também a maneira como respondemos a doenças", salientou.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO