Porto Alegre, sexta-feira, 12 de fevereiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 12 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Estados Unidos

- Publicada em 20h52min, 12/02/2021.

Para ex-embaixadora dos EUA na ONU, Trump não tem futuro no partido Republicano

INT - Nikki Haley, embaixadora dos EUA na ONU, renuncia ao cargo 
Nikki Haley, the United States Ambassador to the United Nations speaks during a meeting with US President Donald Trump speaks in the Oval office of the White House October 9, 2018 in Washington, DC. - Nikki Haley resigned Tuesday as the US ambassador to the United Nations, in the latest departure from President Donald Trump's national security team. Meeting Haley in the Oval Office, Trump said that Haley had done a

INT - Nikki Haley, embaixadora dos EUA na ONU, renuncia ao cargo Nikki Haley, the United States Ambassador to the United Nations speaks during a meeting with US President Donald Trump speaks in the Oval office of the White House October 9, 2018 in Washington, DC. - Nikki Haley resigned Tuesday as the US ambassador to the United Nations, in the latest departure from President Donald Trump's national security team. Meeting Haley in the Oval Office, Trump said that Haley had done a "fantastic job" and would leave at the end of the year. (Photo by Olivier Douliery / AFP)


OLIVIER DOULIERY/AFP/JC
A ex-embaixadora dos Estados Unidos na Organização das Nações Unidas (ONU) Nikki Haley criticou o ex-presidente Donald Trump por seu envolvimento na invasão do Congresso norte-americano e disse que ele não tem mais um futuro dentro do Partido Republicano. As declarações foram dadas em uma entrevista publicada nesta sexta-feira (12) no site Politico.
A ex-embaixadora dos Estados Unidos na Organização das Nações Unidas (ONU) Nikki Haley criticou o ex-presidente Donald Trump por seu envolvimento na invasão do Congresso norte-americano e disse que ele não tem mais um futuro dentro do Partido Republicano. As declarações foram dadas em uma entrevista publicada nesta sexta-feira (12) no site Politico.
"Precisamos reconhecer que ele nos decepcionou", disse a também ex-governadora da Carolina do Sul. "Ele percorreu um caminho que não deveria ter seguido, não devíamos tê-lo seguido, e não devíamos tê-lo ouvido. Não podemos deixar que isso aconteça novamente."
Nikki sempre foi uma aliada fiel de Trump - tendo endossado o discurso de fraude das eleições e convocado doações de recursos para pagar os advogados que lideram as contestações judiciais em vários estados. Ao contrário de outros membros do partido, que romperam com Trump ao deixarem o governo, Nikki não passou por um processo de fritura quando renunciou ao posto em 2018.
Apesar de divergir do presidente em diversos pontos - foi muito mais crítica à Rússia e chegou a dizer que as mulheres que acusavam Trump de assédio sexual "deveriam ser ouvidas" -, ela saiu do posto fazendo elogios à administração do republicano.
Na entrevista, ela criticou a postura de Trump em pressionar seu vice, Mike Pence, a reverter a vitória de Biden - ainda que não exista nada na Constituição norte-americana que dê esse poder de desconsiderar, unilateralmente, o resultado das urnas. "Quando digo que estou com raiva, é um eufemismo", disse Nikki. "Mike não foi nada além de leal a esse homem."
Sobre o processo de impeachment, que está sendo julgado no Senado, ela disse ser uma "perda de tempo" - para que seja aprovado, o processo exige a votação de dois terços da Casa, e a maioria dos republicanos já sinalizou que vai absolver Trump.
O processo ainda pode acarretar a perda dos direitos políticos do ex-presidente. Se isso ocorrer, ele não poderá disputar a Presidência em 2024. O veto precisa ser aprovado em uma segunda votação, após a aprovação do impeachment, por maioria simples (51 senadores).
Nikki, no entanto, diz acreditar que Trump não concorrerá a um cargo federal e que ele não terá um futuro dentro do Partido Republicano. "Não acho que ele vai voltar", disse. "Não acho que ele pode. Ele foi longe demais."
Comentários CORRIGIR TEXTO