Porto Alegre, terça-feira, 09 de fevereiro de 2021.
Dia do Zelador.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 09 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Estados Unidos

- Publicada em 08h35min, 09/02/2021. Atualizada em 15h13min, 09/02/2021.

Deputado do Texas Ron Wright é o primeiro parlamentar dos EUA a morrer de Covid-19

Deputado Ron Wright também lutava contra o câncer há anos

Deputado Ron Wright também lutava contra o câncer há anos


Reprodução/JC
O deputado republicano Ron Wright, de 67 anos, morreu por complicações da Covid-19, tornando-se o primeiro parlamentar do Congresso dos Estados Unidos a ser vítima da doença. A morte de Wright foi comunicada por sua equipe nesta segunda-feira (8), mas o deputado morreu no domingo (7).
O deputado republicano Ron Wright, de 67 anos, morreu por complicações da Covid-19, tornando-se o primeiro parlamentar do Congresso dos Estados Unidos a ser vítima da doença. A morte de Wright foi comunicada por sua equipe nesta segunda-feira (8), mas o deputado morreu no domingo (7).
A equipe de Wright, por meio de um comunicado, disse que o deputado estava hospitalizado junto da esposa, em Dallas, depois de terem se infectado com o vírus. A nota também diz que o parlamentar fez tratamento contra o câncer "nos últimos anos". Em 21 de janeiro, Wright anunciou que havia testado positivo para covid-19, "depois de estar em contato com um indivíduo com o vírus" na semana anterior.
O deputado também ficou hospitalizado no ano passado para tratamento de um câncer de pulmão. "Apesar de anos de tratamento doloroso e às vezes debilitante contra o câncer, Ron nunca esmoreceu do desejo de se levantar e voltar para o trabalho, para motivar aqueles que estavam ao seu redor ou para oferecer um conselho paternal", disse o escritório dor parlamentar em comunicado.
Os Estados Unidos são o país mais afetado do mundo pela pandemia em termos absolutos, com mais de 460 mil mortes até agora.
Comentários CORRIGIR TEXTO