Porto Alegre, sexta-feira, 05 de fevereiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 05 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

estados unidos

- Publicada em 09h20min, 05/02/2021.

Senado dos EUA aprova resolução que facilita tramitação de pacote fiscal de Biden

Texto concede ao plano de Biden a possibilidade de tramitar por meio de 'reconciliação'

Texto concede ao plano de Biden a possibilidade de tramitar por meio de 'reconciliação'


MANDEL NGAN/AFP/JC
Após uma sessão de debates que virou a madrugada, o Senado dos Estados Unidos aprovou na manhã desta sexta-feira (5) uma resolução orçamentária que abre caminho para que a proposta de pacote fiscal de US$ 1,9 trilhão do presidente americano, Joe Biden, seja ratificada sem precisar do apoio de senadores republicanos. A matéria foi avalizada com o voto de Minerva da vice-presidente Kamala Harris, que acumula a presidência da Casa.
Após uma sessão de debates que virou a madrugada, o Senado dos Estados Unidos aprovou na manhã desta sexta-feira (5) uma resolução orçamentária que abre caminho para que a proposta de pacote fiscal de US$ 1,9 trilhão do presidente americano, Joe Biden, seja ratificada sem precisar do apoio de senadores republicanos. A matéria foi avalizada com o voto de Minerva da vice-presidente Kamala Harris, que acumula a presidência da Casa.
O texto, que havia recebido aval da Câmara dos Representantes na quinta-feira (4), concede ao plano de Biden a possibilidade de tramitar por meio do dispositivo conhecido como "reconciliação". Através dele, é possível contornar a obstrução da oposição e aprovar o projeto por maioria simples, o que favorece a legenda governista. O recurso, no entanto, só pode usado para pautas relacionadas ao orçamento.
Apesar disso, o líder da Casa Branca já sinalizou que pretende continuar negociando com parlamentares oposicionistas. Na quinta0feira, Biden reforçou o compromisso com o pagamento de cheques de US$ 1,4 mil aos americanos, mas sugeriu estar aberto a limitar a elegibilidade ao benefício, em claro aceno aos republicanos.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO