Porto Alegre, quinta-feira, 28 de janeiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 28 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Estados Unidos

- Publicada em 18h41min, 28/01/2021.

Biden assina decreto para reforçar Obamacare, que torna planos de saúde mais baratos 

Em meio a escalada da pandemia de Covid-19 no país, inscrições para o Obamacare ficam abertas entre 15 de fevereiro e 15 de maio

Em meio a escalada da pandemia de Covid-19 no país, inscrições para o Obamacare ficam abertas entre 15 de fevereiro e 15 de maio


JOE RAEDLE/GETTY IMAGES/AFP/JC
O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, assinou nesta quinta-feira (28), dois decretos para facilitar o acesso da população do país a tratamentos médicos. Dentre as principais medidas, está a reabertura temporária do período de inscrição para o Obamacare, lei do governo de Barack Obama que torna os planos de saúde mais baratos.
O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, assinou nesta quinta-feira (28), dois decretos para facilitar o acesso da população do país a tratamentos médicos. Dentre as principais medidas, está a reabertura temporária do período de inscrição para o Obamacare, lei do governo de Barack Obama que torna os planos de saúde mais baratos.
"Não estou iniciando nenhuma lei nova. Isso é voltar à situação anterior", declarou o democrata em um pronunciamento no Salão Oval da Casa Branca. Em meio a uma escalada da pandemia de Covid-19 no país, o período de inscrições para o Obamacare ficará aberto entre os dias 15 de fevereiro e 15 de maio.
Os decretos também determinam que as agências federais reavaliem políticas e regras que limitam o acesso a tratamentos médicos. "Acredito que todo norte-americano merece a paz de espírito que vem com o acesso a cuidados de saúde de qualidade a preços acessíveis", escreveu Biden em sua conta oficial no Twitter, minutos antes do pronunciamento.
Outra medida prevê a revogação de uma norma que impedia a liberação de financiamento dos EUA a organizações não governamentais (ONGs) internacionais que oferecem aconselhamento ou indicações sobre abortos.
Comentários CORRIGIR TEXTO