Porto Alegre, segunda-feira, 11 de janeiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 11 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Estados Unidos

- Publicada em 19h03min, 11/01/2021.

EUA recolocam Cuba em lista de estados patrocinadores de terrorismo

 Movimento coordenado por Mike Pompeo acontece após meses de revisão legal da questão

Movimento coordenado por Mike Pompeo acontece após meses de revisão legal da questão


Tami Chappell/AFP/JC
O governo de Donald Trump recolocou Cuba na lista norte-americana de países patrocinadores de terrorismo, anunciou nesta segunda-feira (11) o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo. A decisão complicará esforços da nova administração para reviver a aproximação com Havana promovida no governo Obama.
O governo de Donald Trump recolocou Cuba na lista norte-americana de países patrocinadores de terrorismo, anunciou nesta segunda-feira (11) o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo. A decisão complicará esforços da nova administração para reviver a aproximação com Havana promovida no governo Obama.
Em 2015, o democrata, de quem o presidente eleito Joe Biden foi vice, tirou a ilha formalmente da lista, um passo importante para restaurar laços diplomáticos. De acordo com uma fonte ouvida pela agência de notícias Reuters, o movimento de Trump e Pompeo acontece após meses de revisão legal da questão, durante a qual especialistas questionaram se o ato era justificável ou não. Assim, seriam necessárias longas deliberações legais para que Biden revertesse a designação.
Desde que chegou ao poder, em 2017, Trump buscou reprimir Cuba, endurecendo restrições a viagens e remessas dos EUA para a ilha e impondo sanções aos embarques de petróleo venezuelano.
A política linha-dura com Havana é popular entre os cubano-americanos do sul da Flórida e ajudou o republicano a vencer o estado na eleição de novembro, embora ele tenha perdido o pleito geral para Biden. Durante a campanha, o democrata disse que reverteria prontamente as decisões de Trump para Cuba, pois "infligiram danos ao povo e não fizeram nada para promover democracia e direitos humanos".
"Denuncio as manobras do secretário de Estado Pompeo para incluir Cuba na lista de estados que patrocinam terrorismo, agradando a minoria anticubana na Flórida", escreveu no Twitter o chanceler cubano, Bruno Rodriguez, em 30 de dezembro, em meio a especulações sobre a medida.
Comentários CORRIGIR TEXTO