Porto Alegre, sábado, 09 de janeiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 09 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 12h51min, 09/01/2021. Atualizada em 12h56min, 09/01/2021.

Rainha Elizabeth II e príncipe Philip são vacinados no Reino Unido

Casal real britânico recebeu o imunizante no Castelo de Windsor, nos arredores de Londres

Casal real britânico recebeu o imunizante no Castelo de Windsor, nos arredores de Londres


ADRIAN DENNIS/AFP/JC
A rainha Elizabeth 2ª, 94 anos, e seu marido, o príncipe Phillip, 99 anos, receberam neste sábado (9) a primeira dose da vacina contra o coronavírus, informou o Palácio de Buckingham.A monarca do Reino Unido recebeu o imunizante de um médico da família real no Castelo de Windsor, nos arredores da capital Londres, onde faz quarentena desde o início da pandemia.
A rainha Elizabeth 2ª, 94 anos, e seu marido, o príncipe Phillip, 99 anos, receberam neste sábado (9) a primeira dose da vacina contra o coronavírus, informou o Palácio de Buckingham.A monarca do Reino Unido recebeu o imunizante de um médico da família real no Castelo de Windsor, nos arredores da capital Londres, onde faz quarentena desde o início da pandemia.
Cerca de 1,5 milhão de pessoas já foram imunizadas no Reino Unido. O Reino Unido tem registrado mais de 52 mil novos casos diários de Covid-19 e mais de 1.100 mortes por dia, e é o país europeu com maior número de mortes totais desde o começo da pandemia (mais de 78,5 mil).
Com a disseminação de uma nova variante, cuja transmissão é 70% maior, o governo impôs novo lockdown para tentar controlar o aumento acelerado de casos. Também adotou uma nova estratégia de vacinação, adiando a injeção da segunda dose para tentar dar ao menos uma dose ao maior número de pessoas o mais rapidamente possível. Ainda não se sabe se os imunizantes impedem a transmissão, mas o objetivo é proteger os mais vulneráveis, evitando colapso nos hospitais e mortes desnecessárias.
Já na França, em visita a um centro médico, o primeiro-ministro Jean Castex afirmou que as primeiras vacinas da farmacêutica Moderna devem chegar ao país na segunda-feira e acelerar a campanha de imunização contra a covid-19. Ainda na França, o gabinete do presidente Emmanuel Macron informou que a primeira-dama Brigitte Macron foi diagnosticada com a doença no fim de dezembro, mas já se recuperou. O país tem 2.804.88 casos de covid-19, com 67.567 mortos.
O governo da Índia anunciou neste sábado que planeja iniciar a vacinação no país no próximo dia 16 de janeiro. Na primeira fase, trabalhadores do setor de saúde e outros setores prioritários, cerca de 30 milhões de pessoas, serão imunizadas. Em um segundo momento, serão vacinados adultos com mais de 50 anos e também de grupos de risco, somando 270 milhões de pessoas. O país vai usar as vacinas de Oxford/AstraZeneca e o da companhia local Bharat Biotech. O país tem 10.431.639 infectados com covid-19 e 150.798 óbitos.
O presidente do Irã, Hassan Rouhani, disse hoje em pronunciamento feito na televisão que empresas estrangeiras não poderão fazer testes clínicos de vacinas contra a covid-19 no país. A declaração vem um dia após o aiatolá Ali Khamenei, líder supremo do país, proibir a importação de vacinas dos Estados Unidos e Reino Unido, declarando que os países não são confiáveis e que os imunizantes podem "espalhar a doença". O Irã tem 1.280.438 casos registrados de covid-19, com 56.100 mortes.
Portugal registrou, nas últimas 24 horas, mais 111 mortos e 9.478 casos de covid-19, informaram as autoridades de saúde locais neste sábado. O país conta agora um total de 7.701 mortes e 476.187 casos positivos confirmados desde o início da pandemia. O deputado André Silva disse a jornalistas, após reunião com o primeiro-ministro Antonio Costa, que o governo deve aumentar nos próximos dias as medidas restritivas para tentar controlar a transmissão do vírus.
O levantamento mais recente da Universidade Johns Hopkins aponta que já são 89.016.696 de infectados ao redor do mundo, com 1.916.357 mortos. Os Estados Unidos lideram em número de casos, 21.872.264, e óbitos, 368.947, respectivamente.
Comentários CORRIGIR TEXTO