Porto Alegre, sexta-feira, 08 de janeiro de 2021.
Dia Nacional do Fotógrafo.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 08 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Estados Unidos

- Publicada em 18h37min, 08/01/2021.

"Ele não aparecer é uma coisa boa", diz Biden sobre recusa de Trump em ir à posse

Presidente eleito disse que decisão sobre impeachment cabe ao Congresso

Presidente eleito disse que decisão sobre impeachment cabe ao Congresso


CHIP SOMODEVILLA /CHIP SOMODEVILLA/GETTY IMAGES/AFP/JC
O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, não lamentou a decisão de Donald Trump de não ir à cerimônia de posse, em 20 de janeiro. "É uma das poucas coisas em que ele eu já concordamos. Ele não aparecer é uma coisa boa", disse o democrata.
O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, não lamentou a decisão de Donald Trump de não ir à cerimônia de posse, em 20 de janeiro. "É uma das poucas coisas em que ele eu já concordamos. Ele não aparecer é uma coisa boa", disse o democrata.
Trump avisou nesta sexta-feira (8) que não irá ao evento, quebrando uma tradição de que os presidentes estejam presentes na posse de seu sucessor. O republicano será o quarto presidente norte-americano na história a quebrar esta tradição.
Na entrevista coletiva, Biden também disse que o possível impeachment de Trump é uma decisão que cabe ao Congresso.
No primeiro esboço de um processo de impeachment contra Trump, após o presidente estimular a invasão do Congresso na última quarta-feira (6), o Partido Democrata já reuniu 131 apoios ao afastamento, segundo a rede de notícias CNN, citando uma pessoa próxima ao assunto.
Entre eles estariam Jerry Nadler, presidente do Comitê Judiciário da Câmara, e James McGovern, presidente do Comitê de Regras da Casa, no que seria um sinal de que a movimentação pela saída do republicano cresce dentro da sigla.
Nancy Pelosi, presidente da Câmara, defende que Trump seja afastado do cargo por meio da 25ª Emenda da Constituição - dispositivo que permite ao vice-presidente, neste caso, Mike Pence, assumir o comando do país caso o titular não seja capaz de cumprir suas funções.
Se Pence não convocar a 25ª Emenda, a democrata ameaça autorizar a abertura de um processo de impeachment, embora ainda não seja claro se é possível concluir o processo no Congresso até o próximo dia 20, quando acaba o mandato do republicano.
Segundo a CNN, Pelosi ligou para membros da bancada democrata na Câmara nesta sexta-feira e disse que há mais apoio agora do que em 2019 - quando um impeachment de Trump foi aprovado na Casa, mas barrado em seguida pelo Senado.
Atualmente, os democratas têm maioria na Câmara, mas os republicanos possuem maioria no Senado até que os dois novos senadores eleitos pela Geórgia tomem posse. Isso deve ocorrer nas próximas semanas, mas a data ainda não está definida.
Comentários CORRIGIR TEXTO