Porto Alegre, sexta-feira, 08 de janeiro de 2021.
Dia Nacional do Fotógrafo.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 08 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Estados Unidos

- Publicada em 09h37min, 08/01/2021.

Após ataque ao Capitólio, Pompeo nega que EUA seja uma 'república das bananas'

Comparação foi feita por políticos e jornalistas do país

Comparação foi feita por políticos e jornalistas do país


NICHOLAS KAMM/POOL/AFP/JC
O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, classificou como "calúnias" os comentários feitos por jornalistas e políticos que compararam os Estados Unidos a uma "república das bananas" em decorrência da invasão do Capitólio na quarta-feira (6), ao qual ele chamou de "repreensível".
O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, classificou como "calúnias" os comentários feitos por jornalistas e políticos que compararam os Estados Unidos a uma "república das bananas" em decorrência da invasão do Capitólio na quarta-feira (6), ao qual ele chamou de "repreensível".
Em uma publicação no Twitter na noite dessa quinta (7), Pompeo disse que esse tipo de comparação "revela uma compreensão falha das repúblicas das bananas e da democracia nos EUA".
Segundo ele, enquanto "a violência da turba determina o exercício do poder" nas chamadas repúblicas das bananas, nos EUA "os encarregados da aplicação da lei reprimem a violência da turba para que os representantes do povo possam exercer o poder de acordo com o Estado de Direito e o governo constitucional".
Ainda segundo o chefe da diplomacia americana, o fato de a sessão que certificou a vitória do democrata Joe Biden ter sido retomada após as forças de segurança terem retirado os invasores do Capitólio "mostra a força das instituições políticas americanas e representa uma vitória do Estado de Direito e do governo constitucional nos EUA".
Embora não tenha sido mencionado por Pompeo, um dos críticos que fez a comparação que o secretário de Estado considera caluniosa foi o ex-presidente republicano George W. Bush, que governou o país de 2001 a 2009.
Referindo-se à invasão do Congresso, Bush disse que "é assim que os resultados são disputados em uma república das bananas" e, sem citar diretamente o presidente Donald Trump, afirmou estar "chocado com o comportamento imprudente de alguns líderes políticos desde as eleições" de 3 de novembro.
Folhapress
Comentários CORRIGIR TEXTO