Porto Alegre, terça-feira, 05 de janeiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 05 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Reino Unido

- Publicada em 08h20min, 05/01/2021. Atualizada em 16h50min, 05/01/2021.

Após decretar lockdown, governo do Reino Unido anuncia pacote de 4,6 bi de libras

Governo britânico estendeu linhas de crédito com apoio estatal até março

Governo britânico estendeu linhas de crédito com apoio estatal até março


TOLGA AKMEN/AFP/JC
O governo do Reino Unido anunciou na manhã desta terça-feira um pacote fiscal de 4,6 bilhões de libras esterlinas para atenuar o impacto econômico do novo lockdown no país, decretado na segunda-feira (4) para frear a disseminação da Covid-19, com validade até meados de fevereiro.
O governo do Reino Unido anunciou na manhã desta terça-feira um pacote fiscal de 4,6 bilhões de libras esterlinas para atenuar o impacto econômico do novo lockdown no país, decretado na segunda-feira (4) para frear a disseminação da Covid-19, com validade até meados de fevereiro.
De acordo com comunicado emitido há pouco pelo Tesouro britânico, empresas de varejo, hotelaria e lazer - setores bastante afetados por medidas de isolamento social - terão direto a subsídios de até 9 mil libras esterlinas e cobrança de impostos suspensa. Outros 1,694 bilhão de libras esterlinas serão direcionados a negócios de outros setores e a autoridades locais. "O dinheiro será fornecido por propriedade para apoiar as empresas em meio às restrições mais recentes e deve beneficiar mais de 600.000 propriedades comerciais", diz o documento.
Além disso, o governo britânico estendeu linhas de crédito com apoio estatal até março.
O ministro de Finanças do Reino Unido, Rishi Sunak, ressalta no comunicado que o governo local age para proteger vidas e a economia ao mesmo tempo. "O pacote ajudará as empresas a superar os próximos meses - e, principalmente, ajudará a sustentar os empregos, de modo que os trabalhadores possam estar prontos para voltar quando puderem reabrir", diz. Ele ainda defende, na nota, a volta do lockdown diante do salto de casos da Covid-19 após a detecção de uma nova cepa do coronavírus cerca de 70% mais transmissível.
Nesta manhã, mas antes do anúncio do pacote fiscal, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, foi ao Twitter para também defender o endurecimento da quarentena. "Quero dizer a todos em todo o Reino Unido que sei como isso é difícil, sei o quanto vocês estão frustrados. ... Mas agora, mais do que nunca, devemos nos unir", publicou o premiê na rede social. "Agora, você deve mais uma vez ficar em casa, proteger o NHS e salvar vidas", completou. NHS é a sigla do sistema público de saúde do Reino Unido.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO