Porto Alegre, quinta-feira, 24 de dezembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de dezembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

argentina

- Publicada em 12h06min, 24/12/2020.

Argentina recebe primeiro lote de doses da vacina russa Sputnik V

Acordo assinado pelo governo argentino prevê o fornecimento de 25 milhões de doses

Acordo assinado pelo governo argentino prevê o fornecimento de 25 milhões de doses


NATALIA KOLESNIKOVA/AFP/JC
A Argentina recebeu seu primeiro lote de 300 mil doses da vacina contra a Covid-19 Sputnik V, elaborada pelo Centro de Epidemiologia e Microbiologia Nikolai Gamaleya, na Rússia. Com o a primeira leva do imunizante, o país deve iniciar em breve seu plano de vacinação. O acordo assinado pelo governo argentino prevê o fornecimento de 25 milhões de doses.
A Argentina recebeu seu primeiro lote de 300 mil doses da vacina contra a Covid-19 Sputnik V, elaborada pelo Centro de Epidemiologia e Microbiologia Nikolai Gamaleya, na Rússia. Com o a primeira leva do imunizante, o país deve iniciar em breve seu plano de vacinação. O acordo assinado pelo governo argentino prevê o fornecimento de 25 milhões de doses.
A Sputnik V foi aprovada "em caráter de emergência" pelo Ministério da Saúde argentino na quarta-feira (23). É a primeira autorização que o imunizante russo recebe na América Latina, informou um comunicado do Fundo de Investimento Direto da Rússia, que participou do financiamento do desenvolvimento da vacina.
Ainda na quarta-feira, o órgão regulador de alimentos e medicamentos da Argentina (ANMAT) autorizou o uso da vacina contra a Covid-19 da Pfizer/BioNtech, enquanto o governo negocia um acordo com a empresa.
O país também já tem convênios para fornecimento de vacinas com a Universidade de Oxford associada à farmacêutica AstraZeneca, e faz parte do mecanismo Covax da Organização Mundial de Saúde (OMS).
A Argentina tem mais de 1,5 milhão de casos confirmados do novo coronavírus e contabiliza mais de 42 mil mortes.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO