Porto Alegre, sábado, 19 de dezembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 19 de dezembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 14h39min, 19/12/2020. Atualizada em 14h47min, 19/12/2020.

Reino Unido aumenta restrições e confirma nova variante do coronavírus 70% mais transmissível

Primeiro-ministro britânico diz que comemorações de Natal em Londres serão canceladas

Primeiro-ministro britânico diz que comemorações de Natal em Londres serão canceladas


JUSTIN TALLIS/AFP/JC
O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, anunciou neste sábado (19) novas restrições à circulação de pessoas em Londres e no sudeste da nação, regiões onde a pandemia de Covid-19 tem se agravado. O líder confirmou que uma nova variante do coronavírus identificada pelas autoridades de saúde britânicas se espalha mais rapidamente do que as anteriores. "Pode ser até 70% mais transmissível do que a variante antiga", disse Johnson durante uma coletiva de imprensa.
O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, anunciou neste sábado (19) novas restrições à circulação de pessoas em Londres e no sudeste da nação, regiões onde a pandemia de Covid-19 tem se agravado. O líder confirmou que uma nova variante do coronavírus identificada pelas autoridades de saúde britânicas se espalha mais rapidamente do que as anteriores. "Pode ser até 70% mais transmissível do que a variante antiga", disse Johnson durante uma coletiva de imprensa.
De acordo com o premiê, as novas medidas são equivalentes ao lockdown imposto em novembro e durarão duas semanas. O governo britânico reavaliará a situação no dia 30 de dezembro. Sob as novas regras, o comércio não essencial e as academias terão que permanecer fechados. Além disso, as comemorações de Natal em Londres e na região sudeste serão canceladas. "Quando os fatos mudam, temos que mudar nossa abordagem", respondeu o primeiro-ministro ao ser questionado sobre o motivo de ele ter negado durante a semana, em uma sessão no Parlamento, que o Natal seria cancelado na capital do país.
"Temos que agir porque o vírus está se espalhando muito rápido", declarou Johnson. Ele ressaltou, porém, que não há indicação de que as vacinas para Covid-19 seriam menos eficazes contra a nova variante do vírus.
Comentários CORRIGIR TEXTO