Porto Alegre, quinta-feira, 17 de dezembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 17 de dezembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Uruguai

- Publicada em 17h31min, 17/12/2020.

Para conter Covid-19, Uruguai fecha fronteira para estrangeiros e uruguaios no exterior

Presidente Luis Lacalle Pou (c) determinou novas medidas para controlar vírus em solo uruguaio

Presidente Luis Lacalle Pou (c) determinou novas medidas para controlar vírus em solo uruguaio


Presidência do Uruguai/Divulgação/JC
O presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou, anunciou na quarta-feira (16) novas medidas para tentar conter o aumento de casos de Covid-19, incluindo novas restrições de entrada no país.
O presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou, anunciou na quarta-feira (16) novas medidas para tentar conter o aumento de casos de Covid-19, incluindo novas restrições de entrada no país.
A nova limitação vai valer entre 21 de dezembro e 10 de janeiro. Durante esse período, tanto estrangeiros quanto uruguaios que moram no exterior não vão poder entrar no país. As únicas exceções serão cidadãos que já compraram passagem, e o transporte de carga, que poderá continuar normalmente.
O governo uruguaio já impôs uma série de restrições em suas fronteiras desde o início da pandemia. Até agora, porém, estas medidas não se aplicavam a cidadãos uruguaios e a estrangeiros residentes no país.
Lacalle Pou também proibiu a realização de eventos públicos, ordenou o fechamento de bares e restaurantes à meia-noite e anunciou que mandou para o Legislativo um projeto que limita o direito de reunião das pessoas. O objetivo desta última medida é impedir a realização de festas de fim de ano e de comemorações numerosas de Natal. "A segunda onda do mundo é a nossa primeira onda", afirmou o presidente ao justificar as medidas.
Desde o mês passado, o Uruguai enfrenta um crescimento nos casos de Covid-19, e soma atualmente 10.893 infecções e 102 mortes pela doença em uma população de 3,4 milhões de pessoas.
Comentários CORRIGIR TEXTO