Porto Alegre, quinta-feira, 10 de dezembro de 2020.
Dia Internacional dos Direitos Humanos.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 10 de dezembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Relações Internacionais

- Publicada em 20h47min, 10/12/2020.

China restringe viagens de autoridades dos EUA a Hong Kong, em retaliação

Medida é retaliação a sanções que barram algumas autoridades de China e Hong Kong de viajar aos EUA

Medida é retaliação a sanções que barram algumas autoridades de China e Hong Kong de viajar aos EUA


ANTHONY WALLACE/AFP/JC
O governo da China decidiu impor restrições para que algumas autoridades dos Estados Unidos viajem a Hong Kong, em retaliação contra medidas similares impostas sobre indivíduos chineses em Washington, informou nesta quinta-feira (10) o Ministério das Relações Exteriores em Pequim. Membros do governo dos EUA, membros do Congresso em Washington, funcionários de organizações não governamentais e seus familiares imediatos enfrentarão "sanções recíprocas", de acordo com uma porta-voz da chancelaria, Hua Chunying.
O governo da China decidiu impor restrições para que algumas autoridades dos Estados Unidos viajem a Hong Kong, em retaliação contra medidas similares impostas sobre indivíduos chineses em Washington, informou nesta quinta-feira (10) o Ministério das Relações Exteriores em Pequim. Membros do governo dos EUA, membros do Congresso em Washington, funcionários de organizações não governamentais e seus familiares imediatos enfrentarão "sanções recíprocas", de acordo com uma porta-voz da chancelaria, Hua Chunying.
A porta-voz se referia aparentemente às sanções dos EUA que barram algumas autoridades de China e Hong Kong de viajar aos EUA ou de ter relações com o sistema financeiro norte-americano, por causa de seu papel na imposição de uma nova lei de segurança que limitou a liberdade de expressão e a atividade política em Hong Kong. Os detentores de passaporte diplomático em visita a Hong Kong e a Macau temporariamente não terão mais privilégios para entrada sem visto, disse ainda a porta-voz.
Comentários CORRIGIR TEXTO