Porto Alegre, segunda-feira, 07 de dezembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 07 de dezembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Estados Unidos

- Publicada em 17h21min, 07/12/2020. Atualizada em 18h17min, 07/12/2020.

Depois da 2ª recontagem, Geórgia vai certificar vitória de Biden mais uma vez

Primeira recontagem foi feita a mão, segunda, por máquinas

Primeira recontagem foi feita a mão, segunda, por máquinas


Megan Varner/Getty Images/AFP/JC
A Geórgia contou pela terceira vez os votos da eleição presidencial norte-americana no estado. E, pela terceira vez, os números mostraram que o vencedor foi o democrata Joe Biden, informaram as autoridades locais nesta segunda-feira (7). Com o anúncio, Biden será oficialmente declarado o vencedor no estado pela segunda vez - sua vitória já tinha sido certificada em 19 de novembro, quando acabou a primeira recontagem, feita a mão.
A Geórgia contou pela terceira vez os votos da eleição presidencial norte-americana no estado. E, pela terceira vez, os números mostraram que o vencedor foi o democrata Joe Biden, informaram as autoridades locais nesta segunda-feira (7). Com o anúncio, Biden será oficialmente declarado o vencedor no estado pela segunda vez - sua vitória já tinha sido certificada em 19 de novembro, quando acabou a primeira recontagem, feita a mão.
Agora, a recontagem foi feita por máquinas. O resultado exato ainda não foi anunciado porque um distrito ainda não terminou o procedimento, mas a vitória de Biden já está matematicamente garantida, disse o secretário de estado da Geórgia (cargo responsável por organizar as eleições), Brad Raffensperger. Nas duas contagens anteriores, a vantagem de Biden sobre seu rival, o republicano Donald Trump, ficou abaixo de 0,3% ponto percentual.
Segundo Raffensperger, a expectativa é que até o fim do dia o democrata seja oficialmente declarado vencedor e tenha confirmado os 16 votos que o estado tem direito no Colégio Eleitoral - nome do sistema indireto que define o presidente dos EUA. "Nós agora contamos os votos depositados legalmente por três vezes e os resultados seguem inalterados", afirmou o secretário.
Comentários CORRIGIR TEXTO