Porto Alegre, sábado, 05 de dezembro de 2020.
Dia Internacional dos Voluntários.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 05 de dezembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

relações internacionais

- Publicada em 19h00min, 05/12/2020.

EUA encerram cinco programas de intercâmbio cultural com a China

O governo Trump encerrou cinco programas de intercâmbio cultural com a China, argumentando que os programas estariam sendo usados pelos chineses como propaganda e não tinham nenhum benefício para os Estados Unidos.
O governo Trump encerrou cinco programas de intercâmbio cultural com a China, argumentando que os programas estariam sendo usados pelos chineses como propaganda e não tinham nenhum benefício para os Estados Unidos.
As rescisões vêm após novas restrições de visto anunciadas por Washington, limitando a permanência nos EUA de membros do Partido Comunista da China. Também sinalizam mais erosão nas relações com Pequim nas semanas finais do presidente dos EUA, Donald Trump, no cargo.
O secretário de Estado Mike Pompeo disse que os programas de intercâmbio que ele encerrou eram totalmente pagos e operados pelo governo chinês "como ferramentas de propaganda de soft power" Eles forneciam "acesso cuidadosamente selecionado aos funcionários do Partido Comunista Chinês, e não ao povo chinês, que não goza de liberdade de expressão e assembleia", disse em comunicado na sexta-feira.
O Departamento de Estado encerrou o Programa Educacional de Viagem para a China para Formuladores de Políticas, o Programa de Amizade EUA-China, o Programa de Intercâmbio de Lideranças EUA-China, o Programa de Intercâmbio Transpacífico EUA-China e o Programa Educacional e Cultural de Hong Kong. Cada programa permitiu que autoridades dos EUA viajassem à China com despesas cobertas por Pequim. Pompeo disse que os EUA saúdam "intercâmbios culturais recíprocos de programas culturais" com a China, e outros mutuamente benéficos continuarão.
Na última semana, os EUA anunciaram novos limites de tempo para vistos para membros do Partido Comunista Chinês e suas famílias. Os seus documentos de viagem passam a ser válidos por um mês em vez de 10 anos.
A administração Trump adotou uma série de medidas punitivas contra a China, à medida que as disputas se acirram sobre direitos humanos, pandemia do novo coronavírus, comércio, tecnologia, Taiwan e muitas outras questões. Os passos de Trump estão sujeitos a serem revertidos depois que o democrata Joe Biden se tornar presidente dos EUA em 20 de janeiro. Fonte: Associated Press.
 
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO