Porto Alegre, quarta-feira, 25 de novembro de 2020.
Dia do Doador de Sangue.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 25 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

União Europeia

- Publicada em 10h07min, 25/11/2020. Atualizada em 21h13min, 25/11/2020.

UE aprova compra de 80 milhões de doses iniciais de vacina, diz Moderna

Total ainda pode chegar a 160 milhões

Total ainda pode chegar a 160 milhões


JUSTIN TALLIS/AFP/JC
A farmacêutica Moderna informou que a Comissão Europeia aprovou a compra de 80 milhões de doses iniciais de sua vacina para a Covid-19, com possibilidade de o total chegar a 160 milhões. "O acordo será finalizado após um breve período de revisão pelos Estados-membros da União Europeia", explicou a companhia norte-americana em um comunicado.
A farmacêutica Moderna informou que a Comissão Europeia aprovou a compra de 80 milhões de doses iniciais de sua vacina para a Covid-19, com possibilidade de o total chegar a 160 milhões. "O acordo será finalizado após um breve período de revisão pelos Estados-membros da União Europeia", explicou a companhia norte-americana em um comunicado.
"Reconhecemos que enfrentar esta pandemia global exigirá uma série de soluções e estamos orgulhosos do papel que a Moderna tem desempenhado neste esforço global", disse o CEO da farmacêutica, Stéphane Bancel, ao agradecer a "confiança" da Comissão Europeia. "Aumentamos nossa capacidade de fabricação fora dos Estados Unidos com nossos parceiros estratégicos, Lonza e Rovi, para poder entregar aproximadamente 500 milhões de doses por ano e possivelmente até 1 bilhão de doses por ano a partir de 2021, se aprovado", acrescentou.
Na terça-feira (24), a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, havia anunciado o acordo. A vacina para o coronavírus produzido pela Moderna apresentou 94,5% de eficácia em resultados iniciais da fase 3 dos testes clínicos.
No começo do mês, a UE já havia fechado um acordo com as farmacêuticas Pfizer e BioNTech para o fornecimento de 200 milhões de doses da vacina experimental desenvolvida em conjunto pelas companhias, que se mostrou 95% eficaz em resultados finais.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO