Porto Alegre, quarta-feira, 18 de novembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 18 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Coronavírus

- Publicada em 20h01min, 18/11/2020.

Nova York volta a fechar escolas por avanço da Covid-19

Índice de exames positivos nos estabelecimentos de ensino desde a reabertura, em setembro, é muito inferior ao índice médio da cidade

Índice de exames positivos nos estabelecimentos de ensino desde a reabertura, em setembro, é muito inferior ao índice médio da cidade


MICHAEL LOCCISANO/AFP/JC
O prefeito de Nova York anunciou nesta quarta-feira (18), que as escolas públicas da cidade, frequentadas por 1,1 milhão de crianças e jovens, voltarão a fechar as portas a partir desta quinta-feira (19) devido ao avanço do novo coronavírus. As escolas de Nova York somadas são o maior sistema público dos Estados Unidos e foram reabertas há apenas oito semanas.
O prefeito de Nova York anunciou nesta quarta-feira (18), que as escolas públicas da cidade, frequentadas por 1,1 milhão de crianças e jovens, voltarão a fechar as portas a partir desta quinta-feira (19) devido ao avanço do novo coronavírus. As escolas de Nova York somadas são o maior sistema público dos Estados Unidos e foram reabertas há apenas oito semanas.
"Nova York alcançou o umbral de uma média de 3% de testes positivos durante sete dias. Infelizmente, isso significa que os prédios das escolas públicas estarão fechados a partir de desta quinta-feira, 19 de novembro, por precaução", disse o prefeito Bill de Blasio em sua conta no Twitter.
"Devemos lutar contra a segunda onda de Covid-19", acrescentou. A medida talvez seja o revés mais significativo para a recuperação de Nova York desde o primeiro semestre, quando a cidade foi o epicentro global do surto.
O diretor de escolas do sistema municipal, Richard Carranza, afirmou que as aulas serão oferecidas somente de maneira remota até segunda ordem. A medida é questionada por muitos nova-iorquinos que destacam que o índice de exames positivos nos estabelecimentos de ensino desde a sua reabertura, em setembro, é muito inferior ao índice médio da cidade.
Outros se perguntam por que fechar escolas, com os malefícios que isso acarreta para as crianças, se ainda é permitido comer em bares e restaurantes, embora com lotação reduzida. O prefeito, porém, prometeu ao poderoso sindicato dos professores fechar os estabelecimentos caso o índice de infecção chegasse a 3% durante sete dias.
Nova York, que foi o epicentro da pandemia de coronavírus nos EUA em abril e maio, registrou mais de 34 mil mortes por Covid-19. Embora a cidade e até mesmo o estado tenham uma taxa menor de casos positivos do que a maior parte do país, o número está aumentando.
Comentários CORRIGIR TEXTO