Porto Alegre, terça-feira, 20 de outubro de 2020.
Dia do Poeta. Dia do Arquivista.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 20 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Uruguai

- Publicada em 15h57min, 20/10/2020. Atualizada em 15h59min, 20/10/2020.

Ex-presidente José Mujica renuncia ao senado uruguaio

Apesar da pandemia, Sanguinetti e Mujica ignoraram os protocolos de saúde e se deram um forte abraço

Apesar da pandemia, Sanguinetti e Mujica ignoraram os protocolos de saúde e se deram um forte abraço


Pablo PORCIUNCULA/AFP/JC
O ex-presidente uruguaio José "Pepe" Mujica (2010-2015), de 85 anos, renunciou nesta terça-feira (20) à sua cadeira no Senado. Junto com ele, abandonou o posto, também, o ex-presidente Julio María Sanguinetti (1985-1990 e 1995-2000), de 84 anos. Adversários políticos, os políticos da Frente Ampla e do Partido Colorado, respectivamente, concordaram em realizar a renúncia em conjunto.
O ex-presidente uruguaio José "Pepe" Mujica (2010-2015), de 85 anos, renunciou nesta terça-feira (20) à sua cadeira no Senado. Junto com ele, abandonou o posto, também, o ex-presidente Julio María Sanguinetti (1985-1990 e 1995-2000), de 84 anos. Adversários políticos, os políticos da Frente Ampla e do Partido Colorado, respectivamente, concordaram em realizar a renúncia em conjunto.
Em 28 de setembro, Mujica havia anunciado que deixaria o mandato de senador em outubro por motivos de saúde e pela idade avançada. Ele sofre de uma doença imunológica crônica e, por conta disso, não poderá tomar uma vacina contra o novo coronavírus (Sars-CoV-2) quando esta for disponibilizada. Na data, disse "Amo política e não quero ir embora, mas amo ainda mais a vida. E já que estou para ir embora, tento esticar os minutos que me restam. Que defeito, hein?".
Já Sanguinetti, agora, pretende se dedicar ao partido e às atividades jornalísticas.
Apesar da pandemia, os dois ignoraram os protocolos de saúde e se deram um forte abraço, sob o olhar dos colegas da Câmara, que se levantaram para aplaudi-los.
Comentários CORRIGIR TEXTO