Porto Alegre, quarta-feira, 07 de outubro de 2020.
Dia do Compositor.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 07 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Pandemia

- Publicada em 11h43min, 07/10/2020.

ONU: pandemia dobra para 270 milhões as pessoas com insegurança alimentar aguda

A crise alimentar está piorando em todo o mundo à medida que a pandemia de Covid-19 se arrasta, afirmam representantes da Programa Mundial de Alimentos da Organização das Nações Unidas. A pandemia dobrou o número de pessoas com insegurança alimentar aguda, disse Arif Husain, economista-chefe do programa. O total saltou de 135 milhões de pessoas em 2019 para 270 milhões este ano, superando o pico de crise anterior (pós-guerra do Iraque).
A crise alimentar está piorando em todo o mundo à medida que a pandemia de Covid-19 se arrasta, afirmam representantes da Programa Mundial de Alimentos da Organização das Nações Unidas. A pandemia dobrou o número de pessoas com insegurança alimentar aguda, disse Arif Husain, economista-chefe do programa. O total saltou de 135 milhões de pessoas em 2019 para 270 milhões este ano, superando o pico de crise anterior (pós-guerra do Iraque).
Husain disse que o mundo não viu tamanho choque no abastecimento e na demanda por alimentos em escala global no século passado. A pandemia chegou em uma época de colheitas abundantes e amplo suprimento de alimentos, mas as interrupções no comércio e no processamento e transporte deixaram milhões de pessoas com fome em algumas das regiões mais vulneráveis do mundo.
As interrupções na cadeia de abastecimento representam sérios desafios, já que os trabalhadores rurais em localizações, como a Europa, não conseguem cruzar as fronteiras por causa das restrições relacionadas à pandemia para chegar a lugares em que as safras estão prestes a serem colhidas. Os trabalhadores rurais também foram duramente atingidos pela Covid-19 nos EUA, assim como os trabalhadores de frigoríficos norte-americanos e na Europa. Fonte: Dow Jones Newswires.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO