Porto Alegre, terça-feira, 06 de outubro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 06 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Estados Unidos

- Publicada em 16h08min, 06/10/2020.

Trump não tem sintomas da Covid-19 e sinais vitais seguem estáveis, afirma médico

Segundo Conley, 'os sinais vitais e o exame físico seguem estáveis, com um nível de oxigenação ambulatorial de 95% a 97%'

Segundo Conley, 'os sinais vitais e o exame físico seguem estáveis, com um nível de oxigenação ambulatorial de 95% a 97%'


SAUL LOEB/AFP/JC
Médico do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, Sean Conley divulgou comunicado neta terça-feira (6), sobre o estado de saúde do líder, que está com Covid-19. Segundo Conley, houve nesta manhã um encontro entre Trump e a equipe médica, e o presidente não apresentava sintomas. "Os sinais vitais e o exame físico seguem estáveis, com um nível de oxigenação ambulatorial de 95% a 97%", diz o comunicado.
Médico do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, Sean Conley divulgou comunicado neta terça-feira (6), sobre o estado de saúde do líder, que está com Covid-19. Segundo Conley, houve nesta manhã um encontro entre Trump e a equipe médica, e o presidente não apresentava sintomas. "Os sinais vitais e o exame físico seguem estáveis, com um nível de oxigenação ambulatorial de 95% a 97%", diz o comunicado.
O médico diz que Trump teve uma noite "repousante" na Casa Branca, após voltar do hospital. "No geral ele continua a se sair extremamente bem", afirma Conley, que promete mais atualizações sobre o paciente assim que surgirem novas notícias.
Ainda pela manhã, Trump publicou uma série de tuítes nos quais minimizou a Covid-19 e disse que pretende participar do segundo debate presidencial norte-americano, previsto para 15 de outubro em Miami, na Flórida.
Na rede social, Trump manifestou que está em boas condições de saúde e minimizou mais uma vez a pandemia que já matou mais de 200 mil norte-americanos. "A temporada de gripe está chegando. Muitas pessoas, todo ano, às vezes mais de 100 mil, morrem de gripe, mesmo com a vacina. Vamos fechar o nosso país? Não, nós vamos viver com isso, assim como estamos aprendendo a viver com a Covid, muito menos letal na maioria da população".
A afirmação de Trump não condiz com os relatórios anuais do Centro para Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC), que estima que entre 12 e 61 mil pessoas morrem de gripe anualmente desde 2010.
Nesta terça-feira, o candidato democrata Joe Biden ampliou a vantagem sobre Trump na corrida eleitoral. De acordo com pesquisa encomendada pela rede CNN, o ex-vice de Barack Obama lidera com vantagem de 57% a 41% das intenções de voto.
Comentários CORRIGIR TEXTO