Porto Alegre, quarta-feira, 26 de agosto de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 26 de agosto de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

comércio exterior

- Publicada em 14h45min, 26/08/2020.

EUA impõem sanção contra 24 empresas chinesas por atuação no Mar do Sul da China

Órgão estadunidense diz que China avança na construção das ilhas artificiais desde 2013

Órgão estadunidense diz que China avança na construção das ilhas artificiais desde 2013


NICHOLAS KAMM / AFP/JC
O Departamento do Comércio dos Estados Unidos anunciou nesta quarta-feira (26) a inclusão de 24 companhias da China a uma "Lista de Entidades", por seu papel em ajudar os militares do país asiático a "construir e militarizar as ilhas artificiais condenadas internacionalmente no Mar do Sul da China". Em comunicado, o órgão do governo americano diz que, apesar de protestos dos EUA e de outros países, o governo chinês avança rápido na construção das ilhas artificiais desde 2013, o que permite a militarização de águas marítimas reivindicadas também por outros países e "mina os direitos soberanos de parceiros dos EUA na região".
O Departamento do Comércio dos Estados Unidos anunciou nesta quarta-feira (26) a inclusão de 24 companhias da China a uma "Lista de Entidades", por seu papel em ajudar os militares do país asiático a "construir e militarizar as ilhas artificiais condenadas internacionalmente no Mar do Sul da China". Em comunicado, o órgão do governo americano diz que, apesar de protestos dos EUA e de outros países, o governo chinês avança rápido na construção das ilhas artificiais desde 2013, o que permite a militarização de águas marítimas reivindicadas também por outros países e "mina os direitos soberanos de parceiros dos EUA na região".
No comunicado, o secretário do Comércio americano, Wilbur Ross, critica a estratégia chinesa de construir as ilhas artificiais para suas Forças Armadas e lembra que a comunidade internacional já havia condenado a estratégia. As companhias hoje alvo de sanções "têm tido papel significativo na provocadora construção dessas ilhas artificiais e precisam ser responsabilizadas".
Os EUA afirmam que, desde 2013, a China tem feito obras de dragagem e construção de mais de 3 mil acres no Mar do Sul da China, bem como construções de certas estruturas que violam os direitos soberanos das Filipinas.
A Lista de Entidades é um instrumento de sanções usado pelas autoridades americanas para restringir exportações e transferência de itens para pessoas, organizações ou empresas envolvidas em atividades "contrárias à segurança nacional ou aos interesses de política externa" dos EUA, lembra o comunicado.
Em mensagem no Twitter, o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, comentou a medida contra as empresas da China. Segundo ele, os EUA pretendem impedir a coerção de seus aliados no Sudeste Asiático e manter o acesso a "recursos vitais" nas águas da região.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO