Porto Alegre, terça-feira, 28 de julho de 2020.
Dia do Agricultor .

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 28 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Relações Internacionais

- Publicada em 20h17min, 28/07/2020. Atualizada em 20h27min, 28/07/2020.

Nova Zelândia suspende tratado de extradição com Hong Kong

Nova lei de segurança nacional de Hong Kong entrou em vigor em 30 de junho

Nova lei de segurança nacional de Hong Kong entrou em vigor em 30 de junho


ANTHONY WALLACE/AFP/JC
A Nova Zelândia suspendeu o tratado de extradição que mantinha com Hong Kong por causa da nova lei de segurança nacional aprovada pela China em junho. A medida segue o que já foi feito por Reino Unido, Austrália e Canadá neste mês. Já os Estados Unidos encerraram sua política de tratamento econômico especial à ex-colônia britânica. O Reino Unido, inclusive, ofereceu moradia a habitantes da Ilha.
A Nova Zelândia suspendeu o tratado de extradição que mantinha com Hong Kong por causa da nova lei de segurança nacional aprovada pela China em junho. A medida segue o que já foi feito por Reino Unido, Austrália e Canadá neste mês. Já os Estados Unidos encerraram sua política de tratamento econômico especial à ex-colônia britânica. O Reino Unido, inclusive, ofereceu moradia a habitantes da Ilha.
Segundo o ministro das Relações Exteriores neozelandês, Winston Peters, o país não pode mais confiar que o sistema de justiça criminal de Hong Kong "é suficientemente independente" do chinês. "Se a China demonstrar no futuro a estrutura de 'um país, dois sistemas', poderemos reconsiderar nossa decisão", afirmou Peters.
A nova lei de segurança nacional de Hong Kong, que entrou em vigor em 30 de junho, foi amplamente condenada em diversos países do mundo e levou a confrontos nas ruas da cidade. O temor existe devido ao artigo 55 do texto, que deu amplos poderes a Pequim para procurar, prender e processar pessoas em Hong Kong sob acusação de secessão, terrorismo ou conluio com potências estrangeiras.
O chanceler neozelandês anunciou também que a exportação de equipamentos militares e tecnologia para Hong Kong terão o mesmo tratamento dado às exportações para China. Além disso, o país alterou suas recomendações de segurança para viagens, alertando os neozelandeses sobre os riscos trazidos pela nova lei de segurança nacional chinesa.
A China é o maior parceiro comercial da Nova Zelândia, com movimentações anuais de R$ 109 bilhões (US$ 21 bilhões) entre as duas nações.

Conselho Europeu revela "grave preocupação" com legislação de segurança nacional


O Conselho Europeu afirmou, nesta terça-feira, que "adotou conclusões" nas quais demonstra "grave preocupação com a legislação de segurança nacional para Hong Kong", adotada pelo Congresso da China em 30 de junho. A União Europeia (UE) reafirma seu apoio ao "alto grau de autonomia de Hong Kong" sob o princípio "um País, dois sistemas" e sua solidariedade ao povo de Hong Kong, enquanto também fala em um "pacote de resposta coordenado de medidas em vários campos".
As medidas, incluem, de acordo com a nota divulgada, mudanças em questões como asilo, imigração, vistos e políticas de residência; exportações de equipamento específico e tecnologias sensíveis para usos em Hong Kong; bolsas e intercâmbios acadêmicos envolvendo estudantes e universidades do território; apoio à sociedade civil, e revisão de acordos de extradição e outros pactos relevantes com Hong Kong. "Por fim, as conclusões pedem a revisão da implementação da lei de segurança nacional e do impacto do pacote de respostas da UE antes do fim do ano", afirma o comunicado do bloco.
Comentários CORRIGIR TEXTO