Porto Alegre, sexta-feira, 26 de junho de 2020.
Dia Internacional de Combate às Drogas.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 26 de junho de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Justiça

Notícia da edição impressa de 26/06/2020. Alterada em 25/06 às 21h16min

Presidente do Kosovo é acusado de crimes de guerra

Thaçi é acusado de tortura, perseguição, desaparecimentos forçados e assassinato

Thaçi é acusado de tortura, perseguição, desaparecimentos forçados e assassinato


ARMEND NIMANI/AFP/JC
A promotoria do Tribunal Especial para o Kosovo, em Haia, apresentou, na quarta-feira, uma acusação contra o presidente Hashim Thaçi por crimes de guerra e contra a humanidade por tortura, perseguição e desaparecimentos forçados entre os anos de 1998 e 2000, além da morte de 100 pessoas.
A promotoria do Tribunal Especial para o Kosovo, em Haia, apresentou, na quarta-feira, uma acusação contra o presidente Hashim Thaçi por crimes de guerra e contra a humanidade por tortura, perseguição e desaparecimentos forçados entre os anos de 1998 e 2000, além da morte de 100 pessoas.
Um juiz dos tribunais especializados do Kosovo deve rever a acusação relativa ao passado de Thaçi como líder militar e decidir se mantém as acusações, afirmou o Tribunal em um comunicado. O Ministério Público apresentou as mesmas acusações contra o líder do Partido Democrático do Kosovo, Kadri Veseli, e outros líderes não identificados do país.
O processo sumário "é o resultado de uma longa investigação e reflete a determinação do Ministério Público de que pode provar todas as acusações para além de qualquer dúvida razoável", disse o gabinete liderado pelo procurador-geral, Jack Smith.
As vítimas, segundo a acusação, incluem albaneses do Kosovo, sérvios, ciganos e membros de outros grupos étnicos e opositores políticos. "O promotor julgou necessário emitir este comunicado público devido a esforços repetidos de Hashim Thaçi e Kadri Veseli em obstruir e prejudicar o trabalho dos Tribunais de Justiça Especializados do Kosovo", afirmou o comunicado.
O Tribunal Especial para o Kosovo tem o mandato de julgar os responsáveis por crimes de guerra e crimes contra a humanidade supostamente cometidos entre 1998 e 2000 pelo Exército de Libertação do Kosovo. Os Tribunais de Justiça Especializados do Kosovo seguem a lei do Kosovo, mas são constituídas por juízes internacionais e estão sediadas em Haia, na Holanda.
Comentários