Porto Alegre, quarta-feira, 24 de junho de 2020.
Dia da Indústria Gráfica.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 24 de junho de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Coronavírus

Notícia da edição impressa de 24/06/2020. Alterada em 24/06 às 03h00min

Doença é 'um presente vindo da China', diz Donald Trump

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, participou de evento com autoridades de segurança fronteiriça no estado do Arizona ontem. Durante reunião, Trump voltou a criticar o governo de Pequim por causa da pandemia, descrevendo a Covid-19 como "um presente vindo da China", além de argumentar que o muro na fronteira com o México ajuda a conter a disseminação da doença.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, participou de evento com autoridades de segurança fronteiriça no estado do Arizona ontem. Durante reunião, Trump voltou a criticar o governo de Pequim por causa da pandemia, descrevendo a Covid-19 como "um presente vindo da China", além de argumentar que o muro na fronteira com o México ajuda a conter a disseminação da doença.

Trump realizou o evento para marcar a construção da 200ª milha do novo muro fronteiriço. De olho na campanha, aproveitou a ocasião para fazer críticas aos democratas, considerando-os fracos na segurança fronteiriça. "Os democratas fizeram de tudo para bloquear o muro", disse.

Segundo Trump, agora os Estados Unidos não enfrentam mais o problema das "caravanas de imigrantes" vindos da América Central, já que "eles sabem que não conseguem entrar mais" no país.

Para OMS, politização da pandemia agravou o surto

A politização da pandemia de coronavírus agravou o surto global. A avaliação é do diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, em um momento em que os casos da doença continuam a aumentar em ritmo alarmante.

"O mundo precisa desesperadamente de unidade nacional e solidariedade global. A politização da pandemia a exacerbou", disse durante um encontro virtual realizado no World Government Summit, em Dubai.

"A maior ameaça que enfrentamos agora não é o próprio vírus, é a falta de solidariedade global e de liderança global." O diretor da OMS também pediu aos governos que priorizem o atendimento universal à saúde. 

Comentários