Porto Alegre, terça-feira, 09 de junho de 2020.
Dia do Porteiro. Dia do Tenista.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 09 de junho de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

China

09/06/2020 - 16h28min. Alterada em 09/06 às 16h28min

China rejeita estudo que sugere circulação do coronavírus já em agosto de 2019

Estudo concluiu que coronavírus circulava na China quatro meses antes da notificação à OMS

Estudo concluiu que coronavírus circulava na China quatro meses antes da notificação à OMS


MLADEN ANTONOV/AFP/JC
O governo da China negou que o novo coronavírus circulasse pelo país antes do que sabe até agora, após um estudo na Harvard Medical School baseado em imagens de satélite e em padrões de visitas a hospitais e em pesquisas no site Bidu apontar que o vírus poderia estar se espalhando entre a população do país asiático já em agosto de 2019.
O governo da China negou que o novo coronavírus circulasse pelo país antes do que sabe até agora, após um estudo na Harvard Medical School baseado em imagens de satélite e em padrões de visitas a hospitais e em pesquisas no site Bidu apontar que o vírus poderia estar se espalhando entre a população do país asiático já em agosto de 2019.
Porta-voz da chancelaria, Hua Chunying disse durante entrevista coletiva nesta terça-feira, 9, que não havia visto a pesquisa, mas considerou "absurdo" que alguém pudesse chegar a uma conclusão do tipo baseando-se "apenas em elementos superficiais como padrões de tráfego". Pequim reportou o vírus à OMS apenas quatro meses depois do sugerido no estudo americano.
"Neste assunto, eu acredito que temos de respeitar a ciência", afirmou a porta-voz, pedindo que cientistas possam ter espaço para fazer suas pesquisas e "checar a conclusões baseadas nos fatos". Além disso, ainda afirmou que a China, os Estados Unidos e a comunidade internacional em geral têm "uma tarefa comum no momento: lutar contra a desinformação e derrotar a pandemia por meio da solidariedade".
Comentários