Porto Alegre, sexta-feira, 22 de maio de 2020.
Dia do Apicultor.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 22 de maio de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

China

Alterada em 22/05 às 15h05min

China quer permitir que agentes de segurança façam policiamento em Hong Kong

Planos de impor leis de segurança nacional sobre Hong King preocupam o território autônomo

Planos de impor leis de segurança nacional sobre Hong King preocupam o território autônomo


Ed JONES/AFP/JC
O governo de Pequim planeja permitir que agências de segurança da China continental operem oficialmente em Hong Kong, afirmou uma graduada autoridade do país, Wang Chen, diretor-geral do Comitê Permanente do Congresso Nacional do Povo. A informação é divulgada no momento em que há preocupações internacionais sobre a redução na autonomia de Hong Kong, enquanto o regime chinês reforça seu controle sobre o território.
O governo de Pequim planeja permitir que agências de segurança da China continental operem oficialmente em Hong Kong, afirmou uma graduada autoridade do país, Wang Chen, diretor-geral do Comitê Permanente do Congresso Nacional do Povo. A informação é divulgada no momento em que há preocupações internacionais sobre a redução na autonomia de Hong Kong, enquanto o regime chinês reforça seu controle sobre o território.
Planos chineses de impor leis de segurança nacional sobre Hong Kong já geraram preocupação considerável no território autônomo.
Esses planos foram mencionados por autoridades de Pequim na quinta-feira, com o argumento de que era necessário adotar medidas para punir o que eles qualificam como atos de separatismo, subversão, terrorismo e interferência estrangeira.
Temores de que cidadãos de Hong Kong pudessem ser transferidos para a China continental e processados sob as leis chinesas geraram protestos desde junho passado que reuniram milhões nas ruas do território.
Comentários