Porto Alegre, quarta-feira, 20 de maio de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 20 de maio de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Estados Unidos

Notícia da edição impressa de 20/05/2020. Alterada em 19/05 às 20h36min

Trump ameaça cortar de forma permanente financiamento à OMS

Presidente condicionou verbas a melhoras substanciais da OMS nos próximos 30 dias

Presidente condicionou verbas a melhoras substanciais da OMS nos próximos 30 dias


DREW ANGERER/GETTY IMAGES/AFP/JC
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçou cortar permanentemente a verba enviada à Organização Mundial da Saúde (OMS) e disse que os EUA podem "reconsiderar" sua condição de membro da entidade. Ele publicou em sua conta no Twitter uma carta ao diretor-geral da organização, Tedros Adhanom Ghebreyesus, na qual afirma que uma investigação do governo norte-americano confirmou a "alarmante falta de independência entre OMS e China".
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçou cortar permanentemente a verba enviada à Organização Mundial da Saúde (OMS) e disse que os EUA podem "reconsiderar" sua condição de membro da entidade. Ele publicou em sua conta no Twitter uma carta ao diretor-geral da organização, Tedros Adhanom Ghebreyesus, na qual afirma que uma investigação do governo norte-americano confirmou a "alarmante falta de independência entre OMS e China".
Na mensagem, Trump afirma que se a OMS "não se comprometer com melhoras substanciais nos próximos 30 dias, tornarei o congelamento do financiamento dos Estados Unidos à OMS permanente e reconsiderarei nossa filiação à organização". Os repasses à organização foram interrompidos em 14 de abril.
Trump também repetiu, nesta terça-feira (19), que espera uma retomada econômica nos EUA, a partir do quarto trimestre sobretudo, acrescentando que o terceiro trimestre deste ano seria "de transição". Ele mostrou otimismo sobre as chances de a retomada econômica ser bem-sucedida, citando que o número de casos de coronavírus na Flórida e na Geórgia tem recuado.
Além disso, informou que há diálogo com o governo do Canadá para programar a retomada gradual da normalidade na fronteira comum, mas sem citar prazos.
Comentários