Porto Alegre, domingo, 19 de julho de 2020.
Nelson Mandela Day.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 19 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 13h07min, 15/05/2020. Alterada em 13h07min, 15/05/2020.

Greta Thunberg faz apelo internacional para combate à Covid-19 no Amazonas

Ativista ambiental responde o prefeito de Manaus em carta aberta

Ativista ambiental responde o prefeito de Manaus em carta aberta


FILIPPO MONTEFORTE/AFP/JC
A ativista Greta Thunberg respondeu ao prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, por meio de uma carta aberta e um vídeo gravado por ela e outros 12 companheiros do movimento FridaysforFuture na quinta-feira (14). No dia 3 de maio, o prefeito brasileiro havia pedido ajuda à ambientalista para que ela usasse sua "influência" e ajudasse a combater a pandemia do novo coronavírus na região da Amazônia.
A ativista Greta Thunberg respondeu ao prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, por meio de uma carta aberta e um vídeo gravado por ela e outros 12 companheiros do movimento FridaysforFuture na quinta-feira (14). No dia 3 de maio, o prefeito brasileiro havia pedido ajuda à ambientalista para que ela usasse sua "influência" e ajudasse a combater a pandemia do novo coronavírus na região da Amazônia.
"As consequências das mortes dos povos da Amazônia e da destruição da floresta amazônica serão globais", diz Greta no vídeo. O conteúdo foi publicado na conta oficial da Prefeitura de Manaus e repostado por Virgílio Neto. "O nosso apelo para que as grandes nações ajudem Manaus a enfrentar a pandemia ganha ainda mais força com o apoio do movimento FridaysForfuture, encabeçado pela ativista ambiental sueca."
Greta descreve Manaus como "o coração" da Floresta Amazônica, enquanto outros jovens de países como Irlanda do Norte, Portugal, Suécia e Nova Zelândia frisam a importância da biodiversidade e dos recursos naturais presentes na região no contexto global. O vídeo também conta com a participação de ativistas brasileiros, que reforçam o pedido de ajuda: "Nós estamos sendo atacados. Nós estamos morrendo".
O vídeo é direcionado principalmente aos governantes de países que "já superaram o pico da Covid-19" e reforça que o sistema de saúde do Amazonas está com falta de respiradores, medicamentos e equipamentos de proteção individual. "Nós precisamos defender os povos tradicionais da Amazônia de invasores que podem levá-los à morte. Nós temos que defendê-los das ações negligentes e irresponsáveis do nosso governo federal", afirmam os ativistas.
Em seu Twitter, Virgílio Neto agradeceu aos jovens e defendeu que a proteção dos povos indígenas é um assunto de interesse global. "Eles entendem a importância de garantirmos que os povos tradicionais da Amazônia não sejam dizimados pelo novo coronavírus. Lutaremos até o fim e não descansaremos enquanto não vencermos a Covid-19."
Comentários CORRIGIR TEXTO