Porto Alegre, quarta-feira, 25 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre, quarta-feira, 25 de março de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

China

Notícia da edição impressa de 25/03/2020. Alterada em 24/03 às 20h38min

Coronavírus: Com exceção de Wuhan, Hubei vai atenuar quarentena

Aos poucos, trabalhadores começam a retomar a rotina na cidade epicentro da doença

Aos poucos, trabalhadores começam a retomar a rotina na cidade epicentro da doença


STR/AFP/JC
As autoridades chinesas estão planejando atenuar a quarentena em massa na província central de Hubei, onde emergiu originalmente a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). A medida faz parte de esforços em todo o país para revitalizar uma economia levada quase à paralisação pelo contágio.
As autoridades chinesas estão planejando atenuar a quarentena em massa na província central de Hubei, onde emergiu originalmente a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). A medida faz parte de esforços em todo o país para revitalizar uma economia levada quase à paralisação pelo contágio.
De acordo com um comunicado emitido pelo governo de Hubei, autoridades vão encerrar as restrições ao tráfego de dentro para fora da província a partir desta quarta-feira (25), com exceção da capital Wuhan, onde partidas ainda ficarão bloqueadas por mais duas semanas.
Ainda assim, apenas as pessoas atestadas como livres do risco de provocar contágio poderão partir. Aqueles saindo de Hubei terão de portar um "código verde" emitido pelas autoridades da província para certificar o seu estado de saúde, diz o comunicado.
Com 11 milhões de habitantes, Wuhan encerrará os seus controles sobre o tráfego a partir de 8 de abril, de acordo com o governo, e aqueles partindo também terão de portar o código verde atestando a sua saúde. Da mesma forma, a cidade começará a estimular a retomada das operações de empresas.
Há pouco mais de dois meses, em 23 de janeiro, a China começou a cercar Wuhan em uma tentativa de conter a propagação do novo coronavírus, detectado inicialmente na cidade. Medidas similares foram estendidas a toda a província de Hubei naquele mês, enquanto quarentenas parciais foram impostas em boa parte do resto do país, afetando milhares de pessoas.
Autoridades chinesas começaram, nas últimas semanas, a diminuir gradualmente essas restrições, permitindo a trabalhadores retornar a seus locais de trabalho e encorajando empresas a retomar operações, em um esforço para restaurar a atividade econômica regular.
A medida ocorre mesmo depois de Hubei anunciar, ontem, um novo caso de coronavírus. A província não registrava nenhum novo infectado há seis dias. Na segunda-feira, não houve nenhuma nova suspeita no epicentro do novo vírus e 426 pacientes receberam alta do hospital.
A China tem alertado sobre a ocorrência de casos importados, isso porque, só na segunda-feira, foram 74 novos registros. Desde o início da pandemia, o país já soma 81.171 infectados e 3.277 mortos.