Porto Alegre, segunda-feira, 23 de março de 2020.
Dia Mundial do Meteorologista.

Jornal do Comércio

Porto Alegre, segunda-feira, 23 de março de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Estados Unidos

23/03/2020 - 08h33min. Alterada em 23/03 às 08h33min

'Após os 15 dias de isolamento, decidiremos que caminho seguir', diz Trump

Seguindo data da recomendação, fim do período mencionado por Trump será 31 de março

Seguindo data da recomendação, fim do período mencionado por Trump será 31 de março


BRENDAN SMIALOWSKI/AFP/JC
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta segunda-feira (23) que não se pode "deixar" que a "cura seja pior que o próprio problema" da pandemia do novo coronavírus. Em seguida, complementou a publicação em sua conta no Twitter: "ao fim do período de 15 dias, tomaremos uma decisão sobre qual caminho queremos seguir."
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta segunda-feira (23) que não se pode "deixar" que a "cura seja pior que o próprio problema" da pandemia do novo coronavírus. Em seguida, complementou a publicação em sua conta no Twitter: "ao fim do período de 15 dias, tomaremos uma decisão sobre qual caminho queremos seguir."
Trata-se de uma referência à recomendação emitida oficialmente pela Casa Branca em 16 de março para que a população americana ficasse em casa durante 15 dias e ajudasse a "desacelerar a propagação do coronavírus".
Seguindo a data em que a recomendação foi feita, o fim do período mencionado por Trump será no dia 31 de março.
O tuíte do presidente dos EUA vem à tona poucas horas depois de o Senado americano rejeitar um pacote de resgate econômico no valor de US$ 1,3 trilhão devido a discordâncias de congressistas democratas sobre os principais beneficiários dos estímulos. Uma nova votação foi agendada para esta segunda-feira às 10h45min (de Brasília).