Porto Alegre, quinta-feira, 12 de março de 2020.
Dia do Bibliotecário.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Saúde

12/03/2020 - 13h47min. Alterada em 12/03 às 13h48min

Veto a voos da Europa pode ser revisto mais adiante, diz Trump

Trump afirmou que restrições a viagens internas do país ainda não foram discutidas

Trump afirmou que restrições a viagens internas do país ainda não foram discutidas


JIM WATSON/AFP/JC
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta quinta-feira (12) que a proibição temporária de voos para a Europa pode ser estendida ou abreviada, a depender do quadro para a disseminação de coronavírus no continente. Além disso, ele considerou que a queda nos preços de gasolina que tem ocorrido nos últimos dias funciona como "uma espécie de grande corte de tributo para os consumidores" americanos.
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta quinta-feira (12) que a proibição temporária de voos para a Europa pode ser estendida ou abreviada, a depender do quadro para a disseminação de coronavírus no continente. Além disso, ele considerou que a queda nos preços de gasolina que tem ocorrido nos últimos dias funciona como "uma espécie de grande corte de tributo para os consumidores" americanos.
Trump ainda comentou que restrições a viagens dentro do próprio país não foram ainda discutidas, mas são "uma possibilidade". O presidente admitiu que o veto imposto por ele a voos da Europa pode ter impacto econômico, mas disse que a prioridade agora é controlar a doença. "Apenas quero que a disseminação do vírus pare em nosso país", enfatizou. Trump afirmou que conversou com alguns dos principais líderes da Europa, antes de fazer o anúncio da noite de quarta-feira (11), sem revelar nomes.
O presidente disse também que é contrário ao projeto que está na Câmara dos Representantes para o combate ao coronavírus. Segundo ele, a oposição do Partido Democrata tem colocado itens que não estavam previstos, os chamados "jabutis", no jargão da política brasileira.
O líder americano foi também perguntado sobre a possibilidade de cancelar comícios eleitorais, diante do risco de disseminação do coronavírus. Segundo Trump, essas decisões serão tomadas "no momento apropriado". Ele também foi questionado se poderia adotar medidas como declarar estado de emergência. Trump não respondeu diretamente sobre a possibilidade, mas disse que pode lançar mão de poderes emergenciais, se necessário.
Ele ainda sustentou que a queda nos mercados deve ser temporária e previu uma recuperação "em alto estilo" mais adiante, lembrando que ainda há avanço nos índices desde sua posse. Trump voltou a comentar que a economia americana está "em ótima forma, em comparação com outros países".