Porto Alegre, quarta-feira, 04 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Estados Unidos

Notícia da edição impressa de 04/03/2020. Alterada em 03/03 às 17h31min

Superterça consolida duelo de Sanders contra Biden nas prévias democratas

Eleitores escolhem cerca de um terço dos delegados que definirão o candidato do partido

Eleitores escolhem cerca de um terço dos delegados que definirão o candidato do partido


FREDERIC J. BROWN/AFP/JC
Eleitores democratas de 14 estados dos Estados Unidos e de um território compareceram aos locais de votação ontem para escolher cerca de um terço dos delegados que definirão o candidato do partido na convenção nacional em Milwaukee (Wisconsin), em julho.
Eleitores democratas de 14 estados dos Estados Unidos e de um território compareceram aos locais de votação ontem para escolher cerca de um terço dos delegados que definirão o candidato do partido na convenção nacional em Milwaukee (Wisconsin), em julho.
Na segunda-feira, o Partido Democrata deu um passo importante para a construção de uma candidatura de centro. O ex-prefeito Pete Buttigieg e a senadora Amy Klobuchar, nomes moderados, desistiram da campanha e anunciaram apoio ao ex-vice-presidente Joe Biden, que se consolida como o principal adversário da ala radical representada por Bernie Sanders. Ambos disputam estado a estado a indicação para enfrentar o republicano Donald Trump nas eleições presidenciais de 3 de novembro.
Depois de um começo ruim, Biden se recuperou no fim de semana, ao vencer as primárias da Carolina do Sul e ganhar novo fôlego para a Superterça. Com quatro prévias realizadas até então, Sanders se firmou como o favorito dos progressistas, concorrendo apenas contra a senadora Elizabeth Warren, cuja campanha nunca decolou.
Do outro lado, o cenário era pulverizado demais entre Biden, o magnata Mike Bloomberg, além de Buttigieg e Klobuchar. Os quatro vinham dividindo os votos dos moderados, permitindo que Sanders acumulasse delegados. Se o cenário demorasse a se definir, o risco era de o senador progressista conseguir uma vantagem insuperável e obter a nomeação do partido de maneira incontestável.
As primárias estaduais têm uma cláusula de barreira de 15% dos votos para a distribuição dos delegados - quem fica abaixo dela sai sem nada nos estados. Em alguns lugares, como na Califórnia, que tem direito a 415 delegados, o ex-vice-presidente aparece com 14% em muitas pesquisas. A migração para ele de apenas um ponto porcentual de Buttigieg e Klobuchar, portanto, seria crucial.
O site do jornal Politico publicou, na segunda-feira, reportagem de bastidores da campanha afirmando que vem crescendo a pressão para que Bloomberg também desista da corrida, hipotecando apoio a Biden. Desde a semana passada, segundo fontes do jornal, assessores das duas campanhas vêm negociando um apoio formal.